15 de setembro de 2010

Para Sempre

Tenho que escrever sobre a eternidade. Vamos nos sentar e filosofar sobre a receita do Para Sempre.

Eu aprendi que essa extensão de nossas vidas pertence ao mundo das fábulas. Aprendi que pode durar tanto por um segundo quanto por toda uma relação de anos. Aprendi também que o Para Sempre se esmigalha como farelos de pão, e se consolida como amor de mãe. Da semana que vem para outra década, depende do tamanho do passo que nós damos. É flexível, metafórico, abundante. Eu só não aprendi a morrer. Me falta entender ainda como lidar com o preço do Para Sempre: a perda.

Quando eu tinha seis (ou sete) anos de idade meus pais adotaram uma cadelinha, cria da cadelinha da minha meia-irmã. Eu era pequena, ela menor ainda. Tinha um mês. Seu nome seria Bolinha por causa do formato dela em minhas mãos, mas meu pai - em um surto raro de criatividade e bom gosto - escolheu um nome melhor. A minha infância, minha vida, e todas minhas experiências então ganharam um batismo.
Levamos a Laika para nossa casa.
Mais do que brincar, cair e levantar, nós duas dividimos uma irmandade. Ela cuidava de mim, eu cuidava dela.
Com dezesseis anos a Laika ficou doente, muito doente, e eu a ninei. A ninei lhe passando toda a segurança desse mundo, e minha Laika dormiu.
Ela dormiu, e sonha agora com um Para Sempre mais concreto, em uma estrela qualquer. Se me caem agora as lágrimas, é porque aprendi a diferença de "existir com" e "amar apesar de".

Viver Para Sempre requer coragem. É preciso força para encarar a rotina, precisamos nos acostumar com a vertigem da roleta russa, porque tudo roda. A vida é um ciclo. Querendo ou não, ela irá girar.
Amar Para Sempre requer compreensão. Ou você compreende que o Para Sempre é como areia ao vento, ou você ama superficialmente.

Eu aprendi que essa extensão de nossas vidas pertence à nossa crença. Aprendi que não depende de ser ou não feliz. Não depende da rotina, do medo, da insegurança de perder. Para Sempre é simplesmente o respeito à vida. Desejar o melhor. É a pura verdade, sem fábulas.
Para Sempre é amar em continuidade, é não deixar o sonho morrer, pois eterno é aquele que amou. Apesar de tudo.


5 comentários:

Michele disse...

Meu Deus, essa cachorrinha é linda demais! :)
O para sempre pode durar de muitas maneiras mesmo. E esse amor que você construiu por ela, irá durar por toda a vida! Imagino o quanto deve doer perder um animalzinho de estimação, porque eles viram parte da família. Mas tente se consolar pensando que vocês lhe deram muito amor, carinho e dedicação!

Um beijo, querida!

Ellen disse...

Infelizmente temos que aceitar as diversas etapas da vida, e pode ter certeza que ela continua a seu lado, só que em formas diferentes, o amor e o carinho permanecerão pra sempre contigo.. e a carne é uma simples máscara da alma.. agora ela com certeza está na sua forma original e te protegendo sempre.. fica bem!

Dayvid disse...

Há poucos meses atrás apareceu um passarinho doente no quintal da minhas casa. Pegamos pra cuidar, afinal não teríamos coragem de deixar a pobrezinha sozinha. Cuidamos dela por poucos dias, ela alegrou esses dias aqui. Mas infelizmente uma noite ela morreu quando a gente ia colocá-la dentro de casa pra todo mundo dormir. Foram poucos dias, mas tinha me apegado tanto à ela! Até hoje vejo as inúmeras fotos que tirei dela e com ela.
Mesmo não estando fisicamente ao nosso lado, eles estarão sempre nas nossas melhores lembranças. Jamais esqueceremos o tanto que aquilo foi e continuará sendo bom :)
Abraço ;)

Carla Sofia Oliveira disse...

Eu tenho uma história muito parecida. Quando era muito nova também tive uma cadela, linda linda e meiguinha. Chamei-lhe Bebé na altura e assim ficou. Quando tinha 13 anos, por aí, a Bebé morreu. Foi a única experiência de morte na minha vida. Ainda hoje choro ao falar nela ou ao me lembrar.

Concordo contigo neste texto. Completamente. Gostava de dizer mais palavras mas não consigo. A tua história fez-me lembrar a minha e dói cá dentro relembrar tudo :)

Alice Voll disse...

gente, que coisa bonita! num sei escrever assim!
meu comentário vai ser curto, pq hj estou down!

Postar um comentário