20 de dezembro de 2010

Carta ao São Nicolau

Caro senhor santo,

Firmo aqui nesta carta minha presença adulto-juvenil, um tanto herege outro tanto desiquilibrada mentalmente, mas que seja, para fazer meu balanço anual e também entregar-lhe minha carga pessoal de pedidos fúteis e com extremos exageros. Eu sei que com essa primeira sentença já lhe chamei a atenção, portanto, merecendo vosso digno gesto de colocar os óculos e apertar as vistas para ler, continuo minha humilde carta destinada ao senhor. Deixemos os pedidos para depois, o que eu quero mesmo é abrir vossos olhos para o mundo real e lhe tornar atento ao que ronda vossa reputação. Não sei o que houve nem mesmo quando ocorreu, mas o senhor tem sido plageado por um camarada vestido com roupas vermelhas e que anda de trenó. É, ele anda de trenó, no Brasil até! Sem a menor preocupação com os direitos dos animais ele também escraviza um punhado de renas e as obriga a puxarem um trenó com bilhões de presentes mais ele, que está acima do peso, tudo isso há muitos pés do chão onde a temperatura é menor e os atropelamentos aereos assustam as pesquisas anuais, mas não, nenhuma casa ou apartamento foram atingidos por defuntos natalinos causando tragédias maiores.

Como se plágio fosse pouco, o camarada ainda se valeu da crença popular facilmente maleável e trocou vossa data de comemoração! De 6 de dezembro as pessoas passaram a te esperar (esperar ele) na noite de 24 para 25 de dezembro, provocando assim, uma vergonhosa e desleal concorrência com o menino Cristo. O senhor é capaz de se imaginar concorrendo contra Jesus? E olha que ele não anda sobre as águas. De qualquer forma, Jesus não entra por chaminés nas casas alheias, não é? Pois sim, o camarada se diz capaz de entrar por chaminés - que existem em mínimas quantidades no Brasil e dezenas de outros países - mesmo com uma barriga fora dos limites de qualquer calça que indica diabetes, chopp e falta de bons costumes alimentares. Não termina por ai, o camarada acima do peso, resolveu que seria de bom tom passar a rasteira no membro premium da família judaica-cristã (se é que isso existe): Deus. Sim, senhor Nicolau, Deus! Há milhares de gerações, entra guerra e sai guerra, crianças e toda a Humanidade o chamam de Papai, assim, com p maiusculo. Se quiser guilhotinar culpados, indico os franceses, pois em certas nações é acrescentado "Noel", sabe né, Natal em francês. Nada de romanos, nada de nazistas, franceses.

Imagino que o senhor deve estar ai, no além ou na locação particular de santos, lendo minha carta horrorizado, boquiaberto e com taquicardia, talvez. Não é para qualquer um descobrir tal atrocidade após... erm... mais de 1600 anos segundo meus cálculos. Lamento informá-lo, mas sou obrigada a lhe aplicar o golpe final: Big Daddy ou Papai Noel ou papis cometeu, além do pecado da gula, o pecado Capitalista. As crianças foram educadas segundo os ensinamentos de Big Daddy e não querem castanhas, frutas ou abraços, elas querem celulares e bonecas. As crianças não querem ser pobres, aliás, ser pobre não significa passar fome e frio, mas sim não ter brinquedos no dia do Natal.

Fazendo uma pequena análise caso o senhor já esteja perdido ou tenha desmaiado em trechos importantes: Nós, humanos, comemoramos vosso dia no mesmo dia do nascimento de Jesus Cristo que - me permita dizer - acaba sendo desfocado do centro da festa por mais que eu não queira isso (cof cof). Comemos pernil ou peru ou frango ou bacalhau, talvez porque Big Daddy ache isso uma homenagem à altura para as centenas de mortes de renas por ano ou nos quer tão gordos quanto ele. Bebemos Coca Cola para marcar a presença errónea deste capitalista cara de pau. Trocamos presentes alimentando uma economia a qual o senhor, eu sei, desaprova pois faz com que vendemos nossas almas à perdição. E, no fim das contas, passamos a vida sem ao menos sentir um gostinho da migalha de vossa santa existência na história real da Humanidade, um ser que pisou a terra que pisamos, apertou as mãos que apertamos e abraçou quem nunca nos importamos em abraçar.

É possível que o senhor tenha parado de ler minha carta já no meio das ocorrências mencionadas. É possível que os leitores arcaicos deste blog também tenham abandonado o texto já na terceira sentença, mas quer saber? Eu não me importo. De verdade. E antes que eu me esqueça de meus pedidos fúteis e exagerados, aqui os menciono:
1. Tenha fé na gente, se não por todos, por aqueles que tem fé entre nós.
2. Não coma muitas laranjas. Não é por nada, mas quando ainda visita algumas poucas crianças que acreditam no senhor, o hálito é um cartão de visita.
3. Sabe, eu o ajudei, dei umas dicas das tretas terrestres e tal... é complicado descolar um Sony Ericsson Xperia? Para lhe provar que tenho minha alma reservada da tentação, aceito um usado!

7 comentários:

Michele disse...

Hahahahaha! Deus nos livre desse sentimento capitalista mas, néam? :P

O problema é que o Natal é pouquíssimo lembrado pelo que realmente significa. Importa é essa troca de presentes e a festa pra se comemorar... o que mesmo? Ah sei lá... acho que o que mais comemoram é a reunião da família, o churrasco do dia inteiro, a oportunidade das férias coletivas! São poucos os que param para se lembrar do nascimento de Cristo e aproveitam a data pra fazer aquele balanço do ano que passou e, principalmente, agradecer!

O lado bom do peru de fim de ano? É a ausência de grana pra dar continuidade à obra aí do lado! haha

Querida, obrigada pelo parabéns ao meu pai! :)

Beijos pra você!

Clara disse...

Sempre achei o o natal aqui uma ironia, todo 'invernal', com pinheiros cheios de neve, trenós, e comida calórica. Tudo isso não combina muito com o calor de 35 graus que faz aqui neh? Maas, ignoremos!

Quebrei a cabeça pra saber quem é o destinatário da carta. Não é Jesus, é? Acho que não! Quem é??

Au disse...

Adorei o texto!
Estou no trabalho e tive que segurar a risada em alguns trechos, levando em consideração que meu chefe está a poucos metros, não seria nada legal... E começar o próximo ano desempregado seria menos legal ainda.
De fato, as poucas chaminés, os presentes, o Papai Noel... Acaba-se esquecendo o real sentindo do Natal.


Beijo!

Erica Ferro disse...

HAHAHA

Tu tens razão.
O verdadeiro sentido das datas de fim de ano é ofuscado pela superficialidade do capitalismo e etc.

=*

Milena' disse...

Ah, finalmente alguém falou a verdade sobre esse Papai Noel capitalista do mal. hahahaha
Todo mundo espera o ano inteiro por um Natal que só significa sair às compras como um louco, comprar absolutamente tudo e depois comer bastante. Muito significado mesmo.
Que Jesus nos perdoe por esse esquecimento.
adorei seu post :*

Thay disse...

Nesse texto todo e eu só fiquei preocupada com as renas...! XD Haha, mas querendo ou não, o Natal já é uma data totalmente comercial, até fico surpresa quando algumas pessoas se lembram do tal real significado. O que é uma pena. Hum, e sabe que eu compartilho dessa sua vontade de ter um Xperia? O celular é uma graça, adoro! De qualquer maneira, espero que tenha tido um ótimo Natal! Beijo!

Alice Voll disse...

Bá, quanto tempo!
Menina, espero que o Santo não tenha ficado zonzo igual a mim! saijnsansjiansjansa
A cara, comemoração sem coca cola nem presta, seja ela qual for!

Postar um comentário