24 de junho de 2011

Tanto faz

Eu jorro centenas de finais de vidas diferentes e originais a cada segundo que me é dado de existência. Seja dom, seja criatividade, jorro para quem quiser escolher o modo mais simples ou honroso de se tornar pó. Para mim tanto faz como tanto fez viver de guerra ou paz, planos B ou de emergência. Dá na mesma. Um chute no estômago ou nas costelas, vice e versa, rasteira ou chave de braço não passam de singularidades. Expressão de violência é arte, de rua ou bueiro. A expressão de mim mesma navega nas águas de chuva correntes pelas galerias de uma cidade em escombros.

Jogo sujo ou lavado, tanto faz. Todas as cartas na mesa, duas na manga, outra ao chão. Dá na mesma. Eu vou perder. Só digo que não é questão de jogo, mas sobrevivência. Não há ganhador ou perdedor, somente filhos da mesma raça. Filhos que irão para o mesmo lugar após passarem pelas mesmas férias, os mesmos desgostos, as mesmas lamúrias. Entre deus e o diabo, rosa e espinhos e de mim a ti, são caminhos que procuro evitar. Me basta os tropeços naturais da blasfêmia. Me basta o feitiço sobre meus ombros que tenho que carregar.

Meu legado não são histórias, estórias ou mentiras de pescador, é apenas - e muito à penas - uns trocados que consegui guardar. Não lhe devo ensinamentos, memórias ou explicações, somente um sorriso amarelo ao pé da escada quando o vejo se empurrar para baixo. Só noto corpos sendo jogados e seus pesos caindo sob o que um dia fui eu, mas você não ligaria para isso. Porque ninguém liga, espera ser ligado. Na essência, tanto faz, já que meu estado de solvência lhe arranca os dedos para julgar. Julgo a mim mesma por estar assim, atenta, a um fim que não tarda a chegar e ultrapassa as falhas que preguei nas ruas desertas.

Tanto faz desde que eu seja encontrada. Perdida, assim, não posso mais ficar. Emaranhada em crenças invisíveis, não posso mais suportar. Teus pulsos, o pulsar dos problemas, meus pulsos. Tanto faz a quem cortar. Deixe estar. Dá na mesma.

4 comentários:

Andreia disse...

É impressão minha ou você está demasiado desanimada neste post? '-'

Acho que em 99.9% das coisas da vida não dá para para colocar um simples "tanto faz". Se bem que naquilo que realmente importa, ou quando é algo que nos pode lixar mesmo a vida, temos a tendência a dizer "ah! tanto faz para mim!".

Eu falo por experiência própria. XD Odeio os meus momentos de "não-tenho-personalidade-própria". x.x

gabs. disse...

dramática ou desanimada. tanto faz.

LuizaM. ! disse...

tem tag no meu blog, pra ti. Dá uma passadinha por lá.

beijos!
http://depernasproalto.blogspot.com/2011/06/respondendo-tags-d.html

Michele disse...

Del, se tem coisa que incomoda a gente é esse tanto faz. Pra mim, incomoda tanto quanto o mais ou menos. A gente sempre quer estar aqui ou lá, quer viver de certezas e com intensidade. Então, frente a isso, só lhe desejo que te encontrem, ou que se encontre. E que largue as amarras das dúvidas para lá.





Ah sim, a baby tem o cordão de chupeta, mas ele só a prende à roupa - não à boca (pena! haha); comecei a usá-lo depois que ela espirrou e a chupeta voou longe! hahahaha Só é perigoso se prender na gola da roupa pq o bebê pode se enforcar... prendemos bem pra baixo e aí não corremos risco algum! ;)

Beijos, lindona!

Postar um comentário