29 de agosto de 2011

Eu, o desgosto e os nazistas

Tenho uma leve impressão de que todos os meses de agosto da minha vida serão ilustrados por um texto aqui no BC. Lá no comecinho do blog eu já havia publicado um "Desgosto", onde comentava sobre as peripécias do cosmo nesse mês. Tudo acontece em agosto. E esse tudo dobra quando somado a minha vida. Muito bem, vamos ao desgosto da vez.

Se você acompanha a vida circense do BC, sabe que meu pai vive na discórdia. Ele faz tudo ao contrário ou deixa de fazer por puro prazer. Em um sábado de manhã, o chuveiro que vive quebrando, quebrou. A água não esquentava."Tudo bem", eu pensei, "isso vive quebrando mesmo, não custa nada usar a mangueirinha para um banho frio, é só hoje." E eu tomei banho frio, caro leitor. Porque se a plebe não tem esperança, vai ter o que? Domingo chegou e nada do meu pai mexer o rabo para arrumar o chuveiro. O meu cabelo começava a dar os primeiros gemidos de clemência. Entenda, eu tenho muito cabelo, e cumprido. Não dá para lavá-lo com uma mangueirinha fria, por maior que seja a esperança da idiota.

Segunda chegou, e foi embora. Terça, quarta, quinta. E eu? Tomando banho frio. Meu cabelo? Dreadlok natural. Cera de abelha é para os playboys, parceiro. Aqui é caveira! Minha mãe já tinha desistido de tentar convencer meu pai a consertar aquela merda. Veja bem, meu pai é do tipo que precisa de fortes motivos para tomar banho quente. A colônia alemã onde ele cresceu, cercado por renegados da Segunda Guerra Mundial, ensinou que banho quente e aconchegante é para os nazistas. É coisa feia, coisa do capeta. Na cabeça dele é natural obrigar a esposa e sua filha a aderirem essa religião. Banho frio no couro, sim! E ainda tem que dizer "amém". Se você fica aí, reclamando do jeito que a banda toca para o seu lado, é porque você ainda não ouviu a desafinada que ela dá no meu.

Na quinta-feira de noite minha mãe chegou com a notícia de que, sim, Hitler havia caído. Os nazistas estavam batendo em retirada e meu pai já havia consertado o chuveiro. Porque o banho quente seria o brinde de champagne para comemorar o fim do Holocausto. Parei de fumar meu cigarro da paz, desliguei meu Bob Marley, pedi para Jah me acompanhar na empreitada e desenrolei meu dreadlok. Minha vida de nômade tomava seus últimos passos. De toalha e coragem na mão, fui para o banheiro. Eu te juro, já não lembrava mais como se tomava banho com toda aquela água caindo no corpo. Água quente, ainda por cima! Fiquei à beira do êxtase. Meu cabelo coçava de tanta felicidade. Claro que ainda fica aquele medo bobo, né? A gente lavando os cabelos, aí abre os olhos esperando encontrar a cara de um nazista te encarando com uma faca na mão. Bem ali, na sua frente, você nu em pêlo e todo ensaboado. E o nazista lá: "Stick die seife in den arsch!"

Google tradutor:
Enfie o sabonete no cu!

Mas encarei o medo, a novidade de tomar banho quente após tanto tempo e fui para debaixo do chuveiro. Lavei o cabelo. Lavei as axilas. Quando comecei a ensaboar os países não participantes da Grande Guerra, adivinhe. Vamos, caro leitor, adivinhe! É, cosmo foi lá e BUM! cortou a energia do bairro. Um jato de água gelada caiu em cima de mim. Os nazistas riram muito. Eu fiquei toda ensaboada, com uma mão na frente e outra atrás, sem saber o que fazer. No mais completo e tenebroso escuro.

— Mãe?

É o que a gente faz, porque quem tem cu tem medo. Chamei mamãe, gritei por mamãe e mamãe trouxe uma bacia com água esquentada e canequinha. Fiquei lá, naquela situação medieval, desgraçando todas as gerações. Xinguei bastante porque xingo esquenta. Minha mãe rindo de um lado e do outro lado meu pai - sempre de consciência pesada - dizendo que a culpa não era dele. A culpa nunca é de ninguém. Enxaguei o sabonete do corpo e água abaixo foi o resto de dignidade que me restava na semana.

— Não posso nem lavar o cu!

"Lavar o cu é para os nobres!", os nazistas responderam.

12 comentários:

Andreia disse...

Curioso voce falar em nazistas, porque - se não me engano - cumpriu agora sessenta e poucos anos desde que a 2ª Guerra Mundial acabou. Deve ser por isso que agora toda a gente só fala do Holocausto. :/

Às vezes temos que tomar um bom banho de água fria. Talvez, porque só dessa forma é que podemos dar valor ao banho que quente. .-.

O teu pai deve ser a preguiça em pessoa não?

Como dizem: tudo o que é bom dura pouco! E se não mata, engorda. XD

Elizia Cavalcante disse...

Eu sei que provavelmente você deve tá usando o fato do banho metaforicamente, mas tomar banho frio não é tão terrível, quer dizer, se tudo que a gente tiver que passar de ruim for uma ducha gelada, isso a gente aguenta.

sobrefatalismos disse...

Que podre, como você é grossa! Vai lavar a boca com sabão, hein mocinha!
Haha.
Minha filha, aqui no campo de concentração Heil Hitler não conserta o chuveiro nem sob tortura da ditadura de 60. Caso sério. Faz nada não.

Olha, eu gostei do Odilon dançando, mas sou suspeita para falar, então calaboca Nina. Ele é uma pessoa maravilhosa, me aconselha muito. Grande amigo.

Beijão.

Del Santana disse...

hahaha, como eu me divirto com os seus textos, Del, sério!

o seu jeito de escrever me prende da primeira até a última palavra de cada post :)

e pior que banho frio é banho frio de "cuia", rs (pelo menos sua mãe esquentou a água p/ vc :D)

bjo

Thay disse...

Suponho que rir da desgraça alheia não é uma virtude, mas não pude conter uma gargalhada na sua frase final. Metáfora ou não, acho que ninguém merece banho frio - acaba com meu dia. Ótimo texto! Beijo!

Jana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jana disse...

Olha só, Del... Aqui em casa não tem chuveiro elétrico, logo, banho quente só depois das oito que é quando os canos da companhia de água começam a ferver com o sol cearense. haha E quem sai cedo de casa? Banho gelado, meu bem. Pra quem tá acostumado com o calor é pior ainda, mas a gente se acostuma. kkkk E, na boa, banho quente me dá um sono! Melhor o gelado que serve pra tudo: acordar, acalmar os ânimos e já ouvi dizer que é bom pra circulação também.

PS: alemão é uma lingua muito "agressiva" na pronúncia, imagino um alemão chingando alguém. --' haha

Beijos, Del! Ah, e feliz aniversário pro BC! Espero que você compartilhe suas "divertidas" experiências com a gente por muito tempo! Até logo ;*

Gab disse...

hahaha, meu deus!
Aqui na minha casa o chuveiro é a gás e SEMPRE acaba o gás quando eu estou com muito shampoo no cabelo.
Raiva sem fim.
Beijo.

Clara disse...

'Quem tem cu tem medo', que frase!
ashaushauhsauhsu
Olhe pelo lado bom: água fria deixa os cabelos brilhantes! :D Devo confessar que ficar no escuro no meio do banho dá o maior medo... Já passei por essa. Ainda bem que existe o bom e velho banho de cavalo!

Leila Ice Girl disse...

Del eu me acabei de rir agora, sério, rir da desgraça dos outros, espero não estar sendo nem um pouco nazista; até entendo o desgosto por que o frio de SP deve ser de matar, mas pra mim, banho frio sempre, no calor do nordeste, até de manhã.

Jéssica Trabuco disse...

Que comédia viu?
huauaha....
Me acabei de rir aqui.
Tô te linkando lá no meu blog :)

Carol disse...

hum, banho frio no meu nordeste é o que há! Nossa ri muito rs!

Postar um comentário