2 de setembro de 2012

Cinquenta tons de ignorância

Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja.

E. L. James
Abandonei



Eu vivo conectada na internet acompanhando as novidades e, graças a Deus, tenho um filtro bem apurado para as coisas erradas não cairem em minhas mãos. Por isso, ignoro 80% das notícias, dicas e lançamentos que vejo por aí. Entre esses 80% de puro lixo, estava o livro Cinquenta Tons de Cinza, de Stephenie Me... Quero dizer, de E. L. James. Assim que a capa apareceu, sendo divulgada pela Intrínseca, eu me interessei. Depois, li a sinopse. Desinteressei na hora. Passei os olhos por algumas entrevistas e reportagens e o escambal: azedei. Obviamente, Cinquenta Tons de Cinza era mais um apoio para as mesas capengas das casas desse Brasil. "Ok, não vou perder meu tempo", pensei. Ignorei o livro e desejei boa sorte para aqueles que cairiam na armadilha de marketing. Isso aconteceu comigo na época do lançamento de Crepúsculo e eu sei como é ruim ser feito de idiota.

Só que (pausa para um lamento interno) todo mundo fala 24hrs por dia desse livro. Todo mundo faz resenha, comenta, faz piada, vídeos, fotos, promoções e o caralho a quatro. Para onde quer que eu olhe, tem uma gravata, uma máscara ou algemas ilustrando um texto ou um perfil ou ainda um anúncio. Alguns chamam de estratégia, eu chamo de lavagem cerebral. A velha tática das mamães: "Você vai engolir isso!" Não adianta virar a cara para o lado, você vai ler Cinquenta Tons de Cinza nem que a vida de cem crianças na Somália seja sacrificada para tal. "Tá bom", eu dei de ombros porque nasci no sistema econômico mais pau no cu já visto na história da humanidade. "Eu vou ler esse livro só pelo prazer de odiar com propriedade". Nada como odiar alguma coisa com razão, não é verdade? Daí eu baixei um PDF (posso ser burra, mas nem tanto) porque não comprar um exemplar era o meu resquício de dignidade falando mais alto.

Veja bem, eu passei o Cinquenta Tons na frente de um livro do José Luis Peixoto, tamanha a minha curiosidade (essa maldita). Note o que o capitalismo faz com o comportamento das pessoas. Ele nos obriga a blasfemar! Ok, abri o arquivo com muito medo de Deus estar vendo aquilo, e comecei a ler. Eu estaria lendo um lançamento, correto?, senão fosse pela presença de Bella, Edward Cullen e o Lobo Depilado Sem Camisa. Até conferi o nome da obra (HAHAHAHAHA) para ter certeza de que tinha baixado o santo arquivo certo. Estava tudo bem a não ser por um detalhe: Cinquenta Tons de Cinza não é um livro, é uma fanfiction. Não, pior! Cinquenta Tons de Cinza é um erro. Um amontoado de merda, repetições e sentimentos pré-adolescentes que não deveria ter saído da cabeça apodrecida de Stephenie Me... Quero dizer, E. L. James. Essa pessoa é um perigo para a sociedade. Ela deveria estar internada em um hospício de segurança máxima. Ou ao menos em algum motel com um homem de verdade, tendo sua primeira noite de sexo de verdade, e não aquele virtual, ao qual ela se acostumou devido sua incapacidade de relações interpessoais. Em tempo, Stephenie Me... Quero dizer, E. L. James deveria trabalhar carregando livros, ao invés de escrevê-los; profissão que condiz com seu estado mental de uma mula.

Eu não entendo. Juro que não entendo o que fez tantas pessoas comprarem essa bosta e fazerem disso um best seller. A garota mal sabe escrever! Todo parágrafo tem um "puta merda" ou qualquer outra expressão chula. Ela é tão virgem, que nem vagina consegue descrever, usando em seu lugar a palavra . Como assim? Lá aonde? O meu "lá" pode ficar em um lugar completamente diferente do seu. O meu "lá" pode nem ser uma parte do meu corpo, mas por exemplo: Sr. Grey tocou - Lá na campainha da vizinha e pediu um pouco de açúcar para nosso chá das cinco. Eu nunca li uma cena de sexo tão ruim e amadora como as cenas encontradas no livro. Custa a chamar isso de livro, sinceramente. Assim como uma amiga minha disse, eu já li fanfictions melhores, o que direi de livros! Eu, com 16 anos de idade e nenhuma experiência, escrevia fanfics elaboradas com diálogos mais coerentes.

Pois é, daí entra o meu calo.

Coitado, pisaram nele! Para mim, é muito difícil ler enredos assim. A minha revolta nem é tanta com quem compra esse lixo, quem gosta e divulga. A minha revolta é com a editora e o mercado em geral. A Intrínseca - uma editora que tem o Markus Zusak no catálogo, se submeter a traduzir o trabalho de uma criança da 5ª série? Depois, o quê? Vão lançar um livro com ilustrações do jardim de infância? Tentem compreender o meu ódio: eu passei quatro anos dando o melhor de mim para escrever o meu primeiro romance. Eu perdi noites de sono. Perdi encontros com amigos, almoços. Abri mão de ler, ouvir música, assitir filmes só para usar 100% do meu tempo livre. Tudo isso sozinha, suando frio, aprendendo na marra e no choro. Agora, com ele lançado, ainda tenho vergonha dos erros que sei que cometi, da falta de qualidade profissional e corro atrás de tudo o que ainda tenho de aprender para ser escritora. Porra, isso não é brincadeira para mim! Eu batalho dia e noite para vender UM exemplar. Corro atrás de divulgações, indico para todo mundo, rezo para que dê certo. Cara, eu vendi seis exemplares de Helena.

Eu disse seis.

Enquanto isso, E. L. James senta sua bunda virgem na frente do computador, escreve a maior merda de todas sem o mínimo cuidado e apreço pelo o que está fazendo, e vende milhões.

Eu disse milhões.

Por quê? Por que as donas de casa não encontram mais sexo com seus maridos flácidos? Por que as bancas não vendem mais romances eróticos de veracidade duvidosa? Por que o povo anda sem discernimento e engole tudo o que a Mãe Capital manda para dentro? É possível. Dizem que hoje em dia tudo está mais fácil, e eu infelizmente concordo. Só que está mais fácil para as pessoas erradas - e isso é difícil de engolir. Não se enganem! Apesar de dizerem o contrário, os empresários não sabem o que é melhor para vocês. Cinquenta Tons de Cinza é a prova de que algo está do avesso. Eu tolerei Crepúsculo. "Ok, acontece! Não dá para dopar todos os loucos". Mas repetir o erro? Não tenho mais faces para oferecer, desculpa. Abram seus olhos! Ler de olho fechado não funciona. O nazista Joseph Goebbels já dizia: "Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade". Pois bem, não acreditem! Cinquenta Tons de Cinza não é um livro. É uma fraude; mais uma das tantas que tentam fazer você engolir.

Me avisem quando Stephenie Me... Quero dizer, E. L. James conseguir dizer "pênis" sem, HOLLY CRAP!, enrubescer.

41 comentários:

Deb Nascimento disse...

HEHEUAEHUAH Tive que rir, sorry! Eu partilho da mesma opinião! E ainda dizem que esse tipo de "livro", escrito com uma "linguagem jovem" é pra atrair o público mais facilmente. Cada besteira... Acho que a pior besteira que já ouvi na vida foi uma guria dizendo que "nas aulas de literatura só mandam a gente ler livros velhos, porque não nos mandam ler livros novos, como a saga Crepúsculo e afins?!". É rir pra não chorar.

Julie disse...

Eu disse que era uma bosta.

Yuu disse...

This. ↑

"Dizem que hoje em dia tudo está mais fácil, e eu infelizmente concordo. Só que está mais fácil para as pessoas erradas - e isso é difícil de engolir".

Concordo com tudo o que você disse, Del. Principalmente com o trecho destacado acima. Não cheguei nem perto de folhear o tal Cinquenta Tons de Cinza. Os tweets da Intríseca e a opinião alheia integralmente duvidosa, me fizeram criar repulsa pelo livro sem maiores esforços.

Estou de saco cheio dos sites de resenha também. Seus devidos donos se consideram leitores ávidos, mas a maioria não suporta os clássicos. Escrevem suas opiniões em troca de exemplares grátis, tornando a prática da crítica literária totalmente banalizada e publicitária. Como estudante de Letras, não consigo não julgar tais pessoas até ossos. Por isso agradeço ao Bonjour Circus por ser um dos poucos blogs que eu conheço, que fazem resenhas críticas do jeito que elas deveriam ser.

E, aos que ainda têm necessidade de ler um livro sexo, recomendo ao menos optem pelos livros de A Irmandade da Adaga Negra. Ou voltem para as bancas.

Gleanne Rodrigues disse...

E é tanta gente dizendo que esse livro é o melhor livro do mundo, assim como dizem a mesma coisa da Saga Crepúsculo.
Me dói, ver pessoas perdendo seu tempo lendo os livros dessas sagas repetitivas, que são quase cópias uma das outras. Até fatos se repetem, é demais para mim.
Muitas pessoas da escola reclamam que a biblioteca é cheia de livros velhos, que deveriam ter os lançamentos, os livros "que bombam", que são "ótimos". Mas esses tais livros se resumem a Crepúsculo e seus semelhantes.
As pessoas da escola me chamam de louca, só por ter pegado um livro de umas 400 páginas (não lembro bem), o livro é A História dos Treze Devoradores - Balzac. E eles são as pessoas mais normais do mundo enquanto leem Crepúsculo...
Pobre mundo.

Ana Flávia Sousa disse...

Estava muito interessada neste livro, pela capa e pela divulgação, confesso.
Depois que li a sinopse e depois de ler isso tudo aqui, meu interesse desceu para abaixo de 0.

É de críticas assim que todo mundo precisa viu?!

Carolina Lopes disse...

Esse é um livro que não tive vontade de ler só pelo simples fato de ser uma fanfic erótica do crepúsculo. E são tantas pessoas falando tão bem desse livro e tanta propaganda que olho meio de lado. Talvez um dia, como você, eu baixe para ter uma crítica com embasamento.

Divulguei seu livro lá no blog: http://migre.me/axVB6

Beijos, Carol.

Luciana Brito disse...

Eu fiquei muito curiosa por causa da divulgação toda que o livro teve, é um fato. Mas o meu desencanto começou, por incrível que pareça, depois que vi o vídeo do Marcelinho lendo um trecho do livro. Foi tosco e já deu para notar que havia algo estranho com o livro.

Daí bastou um tempinho para um monte de gente aparecer dizendo que o livro é uma merda e coisa e tal... começo a acreditar. Comecei a ler ontem e já fiquei com sono kkkkkkk Vou tentar chegar nem que seja na metade.

É uma pena coisas assim acontecerem. Teu livro, com todo o esforço e amadorismo, digamos, me prendeu muito mais do que 50 tons. O mundo está ao contrário... é uma merda.

Adorei o texto!

snoelle disse...

Passei por quase tudo isso também, mas AINDA não li. É muito difícil quando geral fala disso, você sente _quase sabe mesmo_ que é uma merda, mas fica aquela vontadezinha de ler pra poder falar de fato que é uma merda. Fiz isso com o Crepúsculo (só o primeiro, o segundo parei na metade, não tava fazendo bem ao meu já não tão alto qi), mas ainda estou me segurando com esse.
E concordo com tudo o que você falou. Está tudo mais fácil para as pessoas erradas. Para as que realmente se esforçam, o caminho só piorou. Agora a gente tem esse monte de gente imbecil de obstáculo para que façamos algo digno.
Não tá fácil para ninguém não. Não tá fácil para quem trabalha de verdade, isso sim.

L.H.C disse...

Assim que eu vi nas atualizações o título do post sabia que vinha coisa boa, Del, nossa ri demais. Quando eu ouvi falar a primeira vez nesse 'livro' no Clube foi justamente uma guria dizendo que era alguma como crepúsculo e tals, nossa, uma segunda Stephanie Meyer, como assim? Não sei o que acontece com o mercado editorial não, acho interessante que exista incentivo a livros mais voltados para os jovens, mas pecam muito em qualidade, e deixam pessoas como Charles Dickens se remexendo na cova. Digo que, o que muitos best-sellers de hoje em dias fazem eu sei fazer, e nunca me atreveria a chamar de livro, se as pessoas começassem a ler Dostoievski logo cedo aprenderiam a separar o joio do trigo quando falar de literatura, mas enfim, paciência né?

Fran Carneiro disse...

"Dizem que hoje em dia tudo está mais fácil, e eu infelizmente concordo. Só que está mais fácil para as pessoas erradas - e isso é difícil de engolir"

Concordo completamente com esse trecho, Del.

E, assim... Eu não li 50 tons de qualquer coisa, sequer quis ler. Tenho uma amiga que escreve fanfics bem melhores que essa aí (e aliás, foi ela que me disse que essa era uma merda hahaha). Acho que a diferença entre isso e Crepúsculo é que em Crepúsculo sabemos que é tudo ficção, quer dizer... Não dá pra você almejar se casar com um vampiro, né. Acaba se tornando "divertido", acho. Agora... CANSEI de ver gente babando por esse tal Grey e querendo um "louco dominador pra chamar de seu", rs. Acho ridículo, especialmente pela descrição que fazem dos protagonistas.
E outra, um livro chamado de pornô para mamães NUNCA vai ganhar meu respeito. Quer dizer agora que mulheres casadas tem que jogar sua sexualidade na gaveta e se contentarem com tão pouca merda? Tenha dó.
Faz uns dias que li uma resenha ótima sobre o livro também... Quando achar de novo, te mostro.

No mais: adoro suas opiniões ácidas e verdadeiras ♥

Thay disse...

Vou imprimir seu texto e distribuir pela cidade! \o/

Sério, difícil ir contra a publicidade massiva que desperdiçam com esse livro. Quando vi a capa (que, convenhamos, é mesmo muito bonita!) fiquei curiosa pela história. Fui em busca de saber o assunto e depois de ler a sinopse já desencantei. E tudo ficou ainda pior após descobrir que essa trilogia nasceu daquela maravilha que é Crepúsculo. Quando li o primeiro livro de Crepúsculo, salvo as devidas proporções, até achei ok, mas esse 50 Tons eu nem tive coragem de baixar o pdf! Que dirá comprar o livro!

É mesmo uma porcaria que "autores" que sequer se esforçam para criar seus próprios personagens ganhem todo esse respaldo para publicar. É aquilo que te disse no twitter: só querem aproveitar a fama de Crepúsculo e tirar disso o dinheiro que puderem enquanto puderem! É desolador, isso sim. =/

gabriela m. four disse...

Del, meu bem, é isso! É isso! Concordo com tudo o que você escreveu! É uma porcaria, apesar da capa ótima, do título ótimo (que - maldito - sempre me lembra meu blog!).

Eu quero ler seu livro, mas ele é R$40 O_O e ainda estou pobre HAHAHAHA, quando entrar um dinheiro, eu compro e ajudo a colocar Helena na casa dos milhões também^^

:*

Blank Space disse...

Bravo! Eu não li, por motivos óbvios, mas só pelos trechos que vejo na internet não tem como achar que há alguma qualidade nisso. Realmente incomoda MUITO ser bombardeada vinte e quatro horas por coisas sem a melhor qualidade. A gente vai se desviando, mas olha, que canseira que dá. O pior é que, assim como outras porcarias que a gente vê por aí (ou que pelo menos EU acho porcaria - reality shows, novelas, alguns filmes, etc.), se você não acompanha e critica você está se fazendo de intelectual. Não pode criticar, não pode falar mal porque senão é um chato, um arrogante, etc. Ou seja, vamos todos abaixar a cabeça e pedir desculpas por gostar de coisas de qualidade e ignorar o lixo que é produzido diariamente.

Maria Fernanda disse...

Eu estou com esse livro na minha lista de "desejos" só pra saber qual é a dele. Sei lá, é tanta gente falando e admirando que eu preciso ler e tirar minhas próprias conclusões do dito.


No mais, demais esse teu texto e a forma como tu abordou tudo isso. E, para completar, eu gostei de Crepúsculo e coisa e tal.



Beijinhos

Anna Vitória disse...

Del, eu te amo.
Por muito tempo eu quis ler esse livro para, assim como você, poder falar mal e odiar com propriedade. Porque eu também não suporto gente falando mal daquilo que não conhece. Só que eu desisti disso justamente porque parei pra pensar que gastar meu tempo com isso, ainda que fizesse como você baixando o PDF - porque eu nunca daria dinheiro pra essa mulher -, é injusto perder dois, três dias numa leitura vazia enquanto existem tantos livros mundo afora que merecem ser lidos, escritos por pessoas talentosas (oi você) que tanto batalham para se destacar e se fazer ouvir nesse mar com não só cinquenta, mas milhares de tons de cinza.
E infelizmente esse é o mundo em que vivemos, mas eu ainda acredito, eu me forço a acreditar, que uma hora, algum dia, a falta de talento dessas pessoas vai ser posta em xeque e aí sim eu quero ver.
Beijos!

Jay Andrade disse...

Gente! Parabéns, colocou quase tudo o que eu queria pra fora. Não posso dizer que foi tudo, por que embora a livraria em que fui hoje tivesse mais exemplares desse livro do que a Igreja tem de bíblias, não o comprei e tenho certeza que não quero ler.

E sabe o que mais me irrita? Vi entrevistas dessa mulher ela admite que estava lendo Crepúsculo e se inspirou. Cof. Primeiro: Crepúsculo lá é algo de culhão pra ser citado em entrevista assim, como se tivesse pego um James Joyce ou um Nabokov?! Desconfiei do conceito de qualidade dessa aí na hora. Depois, na mesma entrevista (no Portal FFW)li algo que foi como "ah, eu só peguei a história e coloquei sexo". Tipo isso. Máquemerda.

Além disso uma amiga me disse que o livro nem se define entre adolescente ou adulto, uma hora temos o conflito """amoroso""" que já conhecemos e noutra uma menina amarrada na cama.

Não dá, meu povo. u.u

Cacá disse...

Tenho o mesmo filtro que você pra esse tipo de coisa. Nem cheguei a ler Crepúsculo. Uma amiga me emprestou e ficou na minha mesa de cabeceira meses. Ela emprestou dizendo 'tu tem que ler!'. Aí sabe aquela amiga suspeita, que só lê best seller e Paulo Coelho? Crepúsculo me olhava, eu olhava pra ele. E nunca li nem a primeira página. Confesso que gosto do filme porque acho todos os personagens bonitos e gosto de ver gente bonita na minha tv (hahaha). Mas a história é estúpida.
Essa mesma amiga me falou de 50 Tons de Cinza. Na hora o meu radar disse 'Será?'. Aí li alguma coisa sobre ele e meu radar disse 'É uma cilada, Bino'. Esses dias vi uma resenha positiva num blog que leio (que é de maquiagem, na verdade). Não me convenceu. Agora que li isso tenho certeza. Não vou falar mal porque né, não li (e penso como vc, pra odiar algo tem que ser com propriedade).
Me parece que hoje as pessoas são muito superficiais, só enxergam o que está a alguns metros de distância. Como esse livro, que fez uma campanha absurda de marketing, e vai ser a primeira coisa que elas vão ver quando chegar em uma livraria. Ninguém mais passa horas olhando as prateleiras, lendo as primeiras páginas para ver se a história é interessante, pesquisando autores bons ou alternativos. Vergonha :(

Mayra disse...

Eu nunca quis ler esse livro e quando me falaram que era uma pseudo fanfiction de crepúsculo eu quis menos ainda, se crepúsculo eu mal engoli, imagine uma pseudo fanfiction. Acho uma lástima que isso faça sucesso. Acho que isso representa que as pessoas do mundo são banais demais o suficiente pra se deixarem enganar e maravilhar com qualquer merda. Eu ainda não tive a oportunidade de comprar Helena porque, infelizmente, não tenho um salário e a grana aqui está curtíssima, mas eu juro pra você que comprarei e serei sincera e tenho a certeza, mesmo sem ter lido essa merda, que será bem melhor. BEM melhor.
Você é fantástica.
Abraços <3

Andreia disse...

Eu só li porque os livros andavam na boca de todos. Não havia blog onde não entrasse onde não se falasse desta triologia. Toda a gente dizia que os livros eram bom, que valia a pena ler. E eu pensei: "porque não?"

Pois, eu a pensar que fosse ser uma leitura construtiva, que realmente fosse valer a pena. Só que em vez de um romance com pés e cabeça, deparei com um romance que literalmente nos leva à idade da pedra onde a única opnião que conta são as dos homens. E nem vamos falar na mania que o Christian tem em bater (por não dizer 'humilhar') as suas amantes? E essa historia do contrato? Simplesmente genial.

Eu li os tres livros - porque como em Twilight - eu pensei que a historia ia melhorar em algum ponto. Há sagas assim, que começam mal (chatas) e vão melhorando gradualmente. Mas não foi o caso desta; em vez de melhor só piorou.

Nunca tinha conhecido uma protagonista tão, mas tão chata e irritante. O que é isso de "a deusa que levo dentro..."?! Ou "o meu subconsciente olhou para mim..." Juro que ao fim de tres livros não entendi o porque dessas expressões.

No final, acho que a historia so melhoraria se um dos livros tivesse sido desde a perspectiva do Grey.

Francamente, nunca me arrependi tanto de ler um livro. :/ Espero que ninguém mais cometa o mesmo erro que eu. y-y

Desculpa o comentário enorme. D:
Beijokas

Cami disse...

Ah, foi a mesma coisa comigo em Glimmerglass. Capa linda, marketing lindo, resenhas lindas... Deixei de comprar outro livro pra comprar Glimmerglass (pobreza oi) e deu vontade de jogar no lixo!

Eu simplesmente não suporto essas protagonistas virginais e choronas como a Bella, de Crepúsculo (que aliás nem consegui terminar de ler) e, me parece, a de Cinquenta tons de Cinza. Glimmerglass acontece a mesma coisa. Por exemplo, tem partes do livro que a ação tá a toda, e ela reclama que tá com o cabelo desarrumado na frente do carinha que ela gosta. Eu fico indignada com isso! Na minha opinião, não é nem adolescente, é pré-adolescente.

Sorte ter lido sua crítica (realmente sincera) sobre Cinquenta Tons de Cinza. Se não fosse isso, eu ia deixar de comprar outro livro que talvez fosse bom por mais um romancinho virginal manjado.

Adorei seu blog! (:

Larissa L. disse...

Nossa, Del! Concordo em gênero, número e grau! vi a sinopse e nem quis ler! e tb nao entendo como as pessoas tem engolido isso! mais do que nunca creio que os best-sellers só servem pra vender mesmo e fazer as pessoas terem a ilusão de que estão lendo e aprendendo com um livro!
E isso no mundo tb não me desce: as coisas serem fáceis pras pessoas erradas.. se eu fosse dona de uma editora seu livro seria meu carro chefe!
nao sei se vc já viu o seriado Being Erica, mas ela (Erica) é uma editora e depois de um tempo trabalhando em uma editora que só exaltava os best-sellers (bem ridículos como cinquenta tons de blablala), saiu e criou sua propria editora com os titulos que queria e achava interessante publicar!

parabéns pelo texto e espero que Helena continue crescendo, 6 exemplares são ótimos pra começar!! Eu acho, ao menos! E assim q eu tiver uma grana sobrando serão 7 exemplares ou mais!

Beijos!

Larie Ribeiro disse...

Também baixei o livro em PDF, mas acabei não lendo. E, depois de ler esse texto, é que não vou ler mesmo, Del! Porque eu acredito em cada palavra que você disse e, quando vejo pessoas empolgadas nas livrarias lendo esse livro e comprando em demasiado, só faço um facepalm. Sei lá, com tantos autores brilhantes, o povo se dá ao desprazer de uma leitura pobre...Não entendo mesmo.

Depois que vi um vídeo do Marcelinho (bonequinho no youtube que lê contos eróticos) lendo um trecho desse livro, não pude conter os risos e acho que passaria o livro todo rindo do mesmo por causa da escassez da escrita da autora. Sei lá. Enfim, é isso.

Beijo :)

Hélvio Caldeira disse...

Gostei bastante do seu texto afinal, é difícil ver uma resenha(?) tão bem feita acerca de um livro. Gostei bastante de como você deixou clara a sua opinião, que by the way é a como a minha. Beijo!

Nina disse...

Amada,
acabei de ler essa bosta e concordo com tudo o que você disse. Estou para finalizar uma resenha quase que gigante sobre essa merda de livro que eu também não comprei, mas peguei como empréstimo lá da livraria.
O que mais me deixa triste é a falta de profissionalismo e respeito com o leitor da editora Intrinseca, que publica ora livros muito bons, ora porcarias como essa.
Eu até entendo que o Crepusculo serviu para fazer com a editora fosse lembrada eternamente - e funcionou. Mas daí você pegar um lixo literário e transformar nesse sucesso aparente? É muita falta de senso mesmo.
Só lamento aqueles que gastam quase quarenta reais nisso.
Estou para comprar o seu livro. Morrendo de medo, na verdade, porque nunca comprei pela internet e cismo em não confiar nesse processo. Mas confio na sua escrita.
Beijão.

Karina Azevedo disse...

Essa é provavelmente a resenha mais gostosa de ler que já vi. E apesar da capa ser muito bonita mesmo, a sinopse também me fez desistir de toda e qualquer vontade que eu tinha de ler esse livro. É irritante ficar topando com isso em todos os cantos. É irritante ouvir meio mundo falando que quer ler/comentando o que leu. Mas não me interessei. E depois desse post não deixarei nenhum desejo futuro de entender o que tá acontecendo me convencer.
Esse troço deve ser ruim de verdade.
Obrigada, Del. Você tá prestando um serviço pros leitores.
Beijo!

Joyce C. disse...

Concordo com tuas palavras e indignação. Estou enjoada já, viu? De ver a capa dessa porcaria, e encontrar resenhas falando maravilhas do tal do Grey! Ah, por favor, né! Eu até poderia fazer como você disse e baixar em PDF, e assim poder reclamar com propriedade. haha! Mas eu não quero mesmo gastar o meu tempo lendo algo tão ridículo. A minha dúvida é: O que faz uma editora (que até outro dia tinha o meu respeito) traduzir algo neste nível? Bom... É uma pena ver tantas pessoas sendo manipuladas com facilidade e gastando não sei quantos reais por algo tão banal!

"Dizem que hoje em dia tudo está mais fácil, e eu infelizmente concordo. Só que está mais fácil para as pessoas erradas. E isso é difícil de engolir".

E acrescento: Há muito lixo sendo considerado best-seller, e ótimos livros não recebendo o merecido reconhecimento.

Del, parabéns pela publicação de Helena!
Beijos!

Mariana disse...

Em duas palavras: sexo vende. Não li os livros e não tenho curiosidade de ler porque se eu quiser ler pornografia eu leio fanfictions de ThorxLoki. Garanto que é um material muito mais quente. E se um dia eu for escrever um livro, eu vou encher de putaria porque meu negócio é ganhar dinheiro mesmo. O pessoal tá curtindo 50 tons porque não sabe usar a internet pra baixar pornografia, então considere isso como sendo coisa de usuário. 50 tons = pornografia pra mamães. :)

Liz Rodrigues disse...

Nossa cara!!! Me senti a escória da sociedade agora por ter lido, gostado e indicado para minhas amigas... É realmente devo ser uma dona de casa que não faz sexo com seu marido flacido e devo morrer e ir direto pro inferno pq antes de ler o meu livro ainda assisto a novela e vejo algum reality que esteja passando em qualquer canal sobre qualquer temática...
É fodah! Mas sabe por mais incrivel que pareça não me acho burra, nem idiota e nem pau no cu por gostar de coisas assim... Meu intelecto não está só ligado a isso, meu intelecto vai muito mais além, mas enfim, opinião é opinião e cada um tem a sua...
Ahhh Del, sorte na venda do seu livro!

Henry Alfred Bugalho disse...

Oi, Del.

Esta foi a melhor resenha que li sobre este livro de merda... Odeio dizer que "não li, mas odeio mesmo assim", mas este é o caso.

Li tanta gente escrevendo que "50 tons..." merecia ser lido por causa das risadas, pois era tão mal escrito que se tornava cômico, mas, sinceramente, meu senso de humor não existe para equívocos. Prefiro ler um livro cômico escrito por alguém que entenda de comédia, ou um livro erótico escrito por alguém que entenda de erotismo.
Minhas prioridades de leituras são tantas que não pretendo (apesar de ter cogitado por uns 4 segundos) perder meu tempo lendo um lixo que caiu nas graças das massas burras.

Entendo sua indignação sobre estes sucessos estúpidos, mas infelizmente é como a banda toca. Merda industrializada e enlatada vende milhões, e o que há de bom vende 6 exemplares, ou nenhum.
E o pior é que a nossa geração nem pode aspirar o sucesso póstumo, pois é tanta gente viva tendo seus 1,5 segundos de fama, que ninguém vai sequer se interessar em resgatar algum autor hermético que morreu no anonimato. Não existe mais tempo para isto, não existe tempo para mais nada.

Abraços.

Anônimo disse...

droga, agora eu quero comprar seu livro!

Mia Sodré disse...

Tô pra comprar seu livro desde que foi lançado. O ruim é conseguir, haha. Mas está na lista, não se preocupe. ;)

Hum, não li esse tal de Cinquenta tons de Cinza, mas nem pretendo fazê-lo. Até achava que ele poderia ser mais ou menos, porém, após tantas críticas ruins de gente que eu sei que possui gosto bom, decidi que não perderei meu tempo lendo algo que não me acrescentará em nada.

Já foi perda de tempo ler Crepúsculo.

E realmente: odiar com propriedade é o que há! ♥

Bruna Cullen disse...

falar da Stephenie é facil, quero ver fazer melhor que ela...

falar de um BEST SELLER é tão facil, escrever coisas difamando tbm...agora quero ver na hra de fazer uma melhor...

enquanto vcs falam mal de twilight, ou da Steph ela ta com a vida ganha e sem falar mal de ninguém...

ela não tem culpa se alguém se inspirou - ou sei lá eu pq nunca li 50 tons de cinza - na serie dela...

Matheus disse...

Eu li! Merda de curiosidade! Hoje em dia, qualquer merda de qualquer "autor" vira Best Seller, inclusive isso! Sério, devemos mesmo tratar essa escrotice como "isso". Gostei muito da crítica e me interessei pelo seu livro "Helena", e pretendo comprar ainda esse ano :)

Juliana Aleixo disse...

Isso se chama orgulho ferido ou melhor dizendo: inveja. Só porque o seu livro super intelectual com uma linguagem extraordinariamente culta, cheia de conteúdo e blá blá blá não vendeu milhões de copias não significa que você possa humilhar outros escritores pelo seu enredo do livro, mesmo que você não tenha gostado. Estamos vivendo em uma época de liberdade de expressão sim, mas as pessoas tem que saber o limite de tudo.

del disse...

@Juliana Aleixo Realmente. Contra argumentos, não há fatos.

Anônimo disse...

O LIVRO É DEZZZZZZZZZZZZZZZZZZ.ERÓTICO E CHEIO DE INSTRÇÕES.

Baikal disse...

Eu soube deste livro (e suas bizarras continuações de cinquentas outras coisas) e fiquei a pensar, "fede a merda, estilo 50 odores ruins disto". Mas não podia criticar sem ler, não leio tanto livro do gênero assim para faze-lo simplesmente para poder criticar direito, bem como não dava para confiar em resenhas comerciais... Mas depois de ler uma crítica de uma mulher, estou satisfeito de não ter tentado ler isto. Pelo menos não antes de ler uns outros 5.000 livros, inclusive o seu. Não sou tão curioso mais do que guardo respeito pelo meu instinto.

Baikal disse...

Mas só para constar, não penso que leitura alguma seja "perda de tempo". É bom ficar injuriado de ler um livro. Eu li os 5 das Crônicas de Fogo e Gelo, por exemplo - não comparando, porque mesmo me desagradando, são certamente mais interessantes e mais eróticos XD - e não gostei do rumo que tomou as coisas. Poucas vezes vi alguém ser capaz de frustrar tantas vezes tantos plots promissores. Pelo menos eram promissores, alguns deles, depois de um certo tempo e já pegando a manha sabia que eram promessas falsas xD mas ao final, eu conheci o que o autor tinha a contar, "ouvi" ele e posso me negar a ouvir outra hora, se quiser, mas não tenho porque desejar remover aquilo que já passou pelo meu conhecimento e pouco me interessou. Neste caso, não vejo arrependimento, mas que é revoltante a atitude e a relação entre publicação e público, é sim.

Unknown disse...

Vi que esse livro estava fazendo um sucesso danado, todo mundo comprando, achei que era bom. Aí vi umas críticas sobre a história e brochei (na verdade desanimei quando soube que era uma fanfic de Crepúsculo, o resto foi só pra completar).
Eu já tive vontade de escrever um romance e confesso que desisti logo de cara; o tanto de coisa que você tem que pesquisar e planejar pra não escrever merda.
Eu imagino que deve ser revoltante pra uma pessoa que escreve direito ver um lixo desses virar best-seller.

Ian Oliveira disse...

Posso classificar essa "obra" no quesito Lixo Literário. Tamanha é a falta de criatividade e interesse das pessoas desse mundo para escolher um livro. O que me impressionou nesse texto é que Você se dedica muito para escrever um livro e não consegue vender quase nenhum e vêm uma Gorda e faz o maior sucesso. O que explica isso é que as massas são facilmente abduzidas a comprar coisas inúteis. As propagandas defecam em nossas caras e nós digerimos isso com total facilidade. Somos todos vítimas da nossa incapacidade de discernir o que faz bem e o que não faz.

Denise Rodrigues disse...

Eu tenho a mesma opinião. Achei que perdi um bom tempo lendo essa porcaria. Mas há quem se identifique e eu respeito, fazer oq?!. Agora, com o lançamento do filme, (filme!!!) é que não aguento mais ouvir esse 50 tons de roinc.

Postar um comentário