22 de outubro de 2012

O meme literário de um mês (2012) - Parte III

Dia 16 - O que faz você largar a leitura de um livro no meio do caminho?
Faço isso quando percebo que o escritor não tem o menor talento e é visível que ele/ela não sabe o que está fazendo. Diálogos que não levam a conversa a lugar nenhum, personagens sem ação, capítulos soltos que não se entrelaçam no decorrer da história. Cinquenta Tons de Cinza é o melhor exemplo que me vem à cabeça! É uma fanfiction com o selo da Intrínseca.

Dia 17 – Na sua opinião, qual é o propósito da literatura?
Melhorar as pessoas. Se você parar para pensar, a humanidade está registrada nos livros! Tudo, muito além dos nossos pensamentos íntimos e dos nossos problemas triviais, está escrito e encapado em zilhões de exemplares. Nos livros existe política, cultura, mistérios, segredos, receitas, verdades, uma infindade de escolhas disponíveis para quem quiser ler. Para todos os gostos e ocasiões, se queremos rir, chorar, pesquisar ou descobrir. Para mim, um livro é a melhor marca que alguém pode deixar na Terra. É com ele que podemos mudar de ideia, criar novas concepções ou destruir preconceitos. Depois dos cachorros, a literatura é nossa melhor amiga.

Dia 18 – Você costuma ler e-books?
Sim. Em época de vacas magras, principalmente. Não abro mão do impresso, mas nem sempre posso comprar os livros que quero, e nem por isso deixo de lê-los.

Dia 19 – O que você acha da elitização da literatura? (Você acha que realmente só é intelectualizado aquele que lê os clássicos da literatura? Que ler 1000 livros “de banca” não equivalem a 10 clássicos? O que você acha das pessoas que criticam a literatura “para a massa”, os blockbusters literários? É mesmo possível julgar o nível de intelecto de uma pessoa pelo que ela lê? Você tem algum preconceito literário?)
Eu sinceramente acho que leitura está ligada ao prazer. Você precisa gostar para só então poder dizer que realmente leu o livro. Mas existem determinadas obras que abrem a mente das pessoas enquanto que outras parecem fechá-las para uma oportunidade de enxergar melhor o mundo ao seu redor. Na minha opinião, encher a estante de best sellers e livros juvenis é perca de tempo. Não recrimino, de forma alguma, quem prefere esse gênero, mas o ato de ler perde completamente seu objetivo em uma pessoa que não abre seus horizontes para uma boa leitura. Se você gosta tanto de ler, não vejo problema em juntar prazer, aprendizagem e quem sabe até um pouco de discernimento e capacidade de argumentação. Como eu disse no item 17, além de tudo, livros devem melhorar as pessoas.

Dia 20 – Cite três livros especiais na sua vida.
Helena, O Gigante Egoísta e Sozinha no Mundo. Bom, Helena é o meu primeiro livro lançado, acho que nem necessita de explicação. O Gigante Egoísta era o livro que minha mãe lia na maiora das vezes para eu dormir, e hoje vejo que minha vida tem muito mais em comum com essa história do que jamais pude imaginar. Sozinha no Mundo foi o primeiro livro que escolhi por conta própria, se bem me lembro, ainda no ensino fundamental quando a professora de português decidiu ter boa vontade em nos ensinar a gostar de leitura; é também uma história que carrego até hoje.

Dia 21 - Cite três personagens literários favoritos.
Ed Kennedy, do livro Eu Sou o Mensageiro (Markus Zusak). Ele é o cara mais sensacional que você irá conhecer, e ao mesmo tempo o personagem mais comum, sem atrativos nem grandes feitos (dependendo do ponto de vista). A morte, do livro A Menina que Roubava Livros (Markus Zusak), última narradora que eu esperava encontrar em uma história, maravilhosamente caracterizada e de uma simpatia encantadora. Jason Taylor, do livro Menino de Lugar Nenhum (David Mitchell), o menino mais sensível e apertável que eu já li!

3 comentários:

L.H.C disse...

Ei, mas tem muita fanfiction mais bem escrita que 50 tons de cinza, vamos combinar, é até ofensa com as fanfictions aahaha, tenho o mesmo pensamento em relação aos e-books, eu não gosto muito, mas quando o orçamento fica apertado é o único jeito.

Cami disse...

Cinquenta Tons de Cinza é com certeza um dos piores livros que já li. Eu deixo de ler um livro exatamente pelos mesmos motivos que você! Aconteceu isso de eu não conseguir terminar de ler Glimmerglass, pelo quanto é ruim.
Nem todos os livros juvenis são ruins de ler. Tem algumas histórias realmente boas, outras nem tanto; E sair da zona de conforto literário não é muito fácil, mas vale a pena! Sofri para ler Laranja Mecânica, por exemplo, mas me enriqueceu muito culturalmente.

Pri Bragança disse...

Ai, que saudade daqui, de você!! A vida andou uma loucura, mas agora está tudo ficando mais calmo... :D

A correria acabou atrapalhando minhas leituras e Helena foi o último livro que li - e amei, como já disse!

Eu desconfio dos best-sellers de hoje em dia, pra mim, descobriram a "receita de bolo" pra escrever livro, e todos me parecem iguais: uma enxurrada e vampiros, lobisomens e autoajudas... mimimi

Um grande beijo, Pri.

Postar um comentário