5 de maio de 2013

Cirque du Soleil: Corteo

Eu não achei que haveria uma segunda vez, mas cá estou para contar que visitei meu habitat natural no parque Villa-Lobos de novo. Agora, para curtir o espetáculo Corteo, que eu jamais imaginei que visitaria o Brasil algum dia. Foi uma surpresa quando meu namorado chegou em casa com um ingresso para mim! Sinceramente, eu tinha me esquecido de que eles estavam em São Paulo; sabe como é, quando a expectativa de visitar o Cirque é mínima, a gente procura não ficar sabendo. Por isso, meu coração quase parou ao me lembrar que o Corteo estava aqui e ao mesmo tempo ter um ingresso só para mim.


O palhaço imagina o seu próprio funeral, numa atmosfera de festa e observado por amáveis anjos. Contrastando o grande e o pequeno, o ridículo e o trágico, a magia da perfeição e o charme da imperfeição, o espetáculo evidencia a força e a fragilidade do palhaço, mas também a sua sabedoria e ternura, para ilustrar o aspecto humano de cada um de nós. A música, ora lírica, ora divertida, transforma Corteo numa festa intemporal onde a ilusão brinca com a realidade.
Além de italiano, o espetáculo é de uma doçura sem igual. Uma mulher que estava sentada ao meu lado, assim que um grupo de artistas entrou e passeou entre a plateia, disse para mim que dava uma dó sem tamanho não poder tirar fotos. Eu só pude concordar. O celular, apesar de ter uma câmera de resolução horrível, ficou deixando bem clara sua presença na minha bolsa indignado por não poder registrar tantas cores, caretas e momentos indescritíveis. Meu namorado provocou meu lado circense dizendo para tirar uma foto da cortina de abertura e colocá-la na área de trabalho do notebook, mas é claro que o ambiente estava escuro demais e o resultado foi decepcionante. Só que...

O que seria de nós sem a internet? (clique para ampliar)

Não dá para usar como papel de parede, mas pelo menos vocês tem uma amostra da beleza de Corteo. Se não fosse a segurança por todo canto, eu teria levantado sem cerimônias e tirado centenas de fotos; principalmente de Valentina, a anã com voz de bebê que foi para a plateia de balão e interpretou Julieta, na peça improvisada “Romeu e Julieta”. Por outro lado, eu entendo essa preservação dos direitos autorais e também da segurança dos artistas, já que não são todos que tem o bom senso de desligar o flash da câmera. No fim das contas, tirei fotos do ingresso (clichê), das tendas (o básico) e também de algumas partes técnicas da montagem porque eu sou assim mesmo, desculpa.


Bem melhor do que Varekai, Corteo me fez pensar que a arte circense é inesgotável. Existem inúmeras formas de fazer circo e a companhia canadense Cirque du Soleil aproveita toda a criatividade disponível. Sim, me arrancou lágrimas como da última vez que fui assistir, e fica aquela ideia fixa de trabalhar na equipe de qualquer maneira nem que seja limpando os banheiros químicos ou vendendo pipoca e água gelada por R$60 (true story) e capinha de celular por R$115 (não, o celular não vem junto). Às vezes ficar na plateia aplaudindo não é o bastante. Por mais que eu tenha ganhado uma piscadela de um malabarista (fiquei em choque e comecei a rir na cara do coitado), fazer parte é a única coisa que acalma um espírito circense como o meu.

Balde de pipoca, que não é de ouro apesar do preço, e caneca para a coleção!

Corteo mostrou que a morte pode ser bonita. Em um italiano misturado com português-portunhol e inglês, me encontro novamente em plena felicidade por ter vivido essa experiência. Eu sei que não são todos que tem condições de pagar um ingresso para o show, mas vale a pena assistir no Youtube ou até comprar o DVD. Com um palco de 360°, figurinos impecáveis e a morte de um palhaço representada com a magia do circo, o espetáculo valeu cada centavo ali - há pouquíssimos centímetros do palco!

5 comentários:

Sunny disse...

estou louca para ver, ia assistir varekai mas acabou nem rolando, espero poder assistir corteo esse ano *-* !!

Pablo disse...

Nhaaain, impossível não sentir invejinha! Quando vi a foto no instagram pensei em gritar "Deeel, faz um pooost!" Hahaha! :D

Meu sonho é ver de perto um desses espetáculos. Tenho aqui mais de 15 versões do Cirque, e já vi cada uma pelo menos 2 ou 3 vezes. Amo de loucura!
Realmente, eu ficaria muitíssimo frustrado em não poder fotografar nada... mas com certeza daria um jeitinho de fazer o que você fez, eheheh! E... caramba, você ficou muito pertinho!

Corteo é lindo, e uma das coisas que tenho vontade de ver de perto é aquele maestro que assobia várias músicas classicas, de uma forma magnifica. s2

Thay disse...

Assisti Varekai quando veio e já planejo assistir Corteo, que também vem pra cá. A magia de presenciar ao vivo nem se compara com assistir na televisão de casa. Toda a atmosfera é incrível, fica uma coisa que parece sonho.

Mas o preço dos itens oficiais é mais salgado do que a pipoca (piadinha infame?)! Fiquei doida com um guarda-chuva Varekai mas era 80 dinheiros! Fiquei quieta na minha e não quis olhar mais nada da loja, haha.

=*

MF Probst disse...

Que delícia, Del!
O Cirque teve aqui pertinho, em Curitiba, mas não tive como ir vê-lo. Ler você narrando, só me deixou mais com vontade de.


Beijos.

Dayane Pereira disse...

Ah nem me fale! Esse mês tenho ingressos para Triller, espero conseguir ir. Tem vários outros espetáculos / musicais que pretendo ver, tá difícil. Apesar de gostar demais de Cirque du Soleil, não me programei ainda pra ir. Meu namorado tem coleções de DVD's , passamos horas assistindo...

Postar um comentário