16 de setembro de 2013

Dez coisas que me fazem feliz

Encontrei esse meme no blog Boneca de Neve e na verdade ele faz parte de um prêmio que rolou entre blogs amigos - o Liebster. O título original é “Onze coisas que me fazem terrivelmente feliz” só que eu acho isso impossível para o meu pragmatismo funcional, então simplifiquei a ideia. Espero que quem tenha participado por indicação não fique chateado com a ovelha negra aqui, mas é que eu achei a proposta bacana. Não vou indicar alguém e blá blá blá...


#01 A solidão
Refiro a opcional, quando a pessoa quer ficar sozinha e se afastar das pessoas. Talvez eu goste até demais e me afaste por períodos muito longos dos amigos e familiares, mas eu me sinto satisfeita comigo mesma. Gosto de ler o que quero, assistir o que tenho vontade, fazer o que der na telha sem precisar prestar contas, compartilhar ou abrir mão para satisfazer o outro. Eu gosto de decorar os cantos do meu jeito sem ter de abrir espaços para objetos e temas diferentes dos meus. Prezo pelo meu tempo comigo mesma, ficando extremamente cansada física e mentalmente quando sou obrigada a socializar por mais de duas horas. Pode me chamar de individualista, preguiçosa ou o que quiser.

#02 Finalizar um texto
Eu tenho uma dificuldade desgraçada em finalizar textos. Vocês não imaginam! Arranjar um final, por vezes, é impossível. Estou descontente com a maioria deles. Acho que sou muito ansiosa, por isso não tenho paciência para pensar num desfecho digno. Terminar uma história, texto para o blog ou qualquer coisa do gênero é um alívio.

#03 Fins de semana
Meu namorado fica comigo e com o Benjamin só nos fins de semana. Esses dois dias servem para aproveitarmos o que não temos tempo para fazer durante a semana. Normalmente, não é nada de especial. Somos um casal pouco exigente. Assistimos televisão, e a nova moda é falar mal das modelos do reality show Top Model (que acabou e nos deixou órfãs); o canal aberto às vezes proporciona uma trivialidade sem preço. Pedimos pizza ou comida chinesa. Brincamos com o Benjamin, que se sente o centro do mundo nessas horas e ficamos, simplesmente, juntos. É gostoso poder curtir o nosso relacionamento, que continua como se fosse o primeiro ano.

#04 Ter saúde
Depois de passar por tantas coisas, tantos problemas e desconfortos, hoje dou um enorme valor à minha saúde. Não é conversa fiada o que dizem os mais velhos sobre esse bem maior: ter a saúde em dia é, de fato, um presente. Confesso que tenho de aprender ainda a cuidar melhor de mim; por exemplo, há anos não faço um check up. O Transtorno de Ansiedade me mostrou que o corpo humano não tem limites de ambos os lados: ele tanto pode ascender quanto pode ser derrubado e só levantar com muita dificuldade.


#05 Waldorf
Rudolf Steiner nasceu em 1861 unicamente para me fazer feliz. Amo seus livros, sua antroposofia, sua arte e tudo o que ele deixou na Terra. Foi através dele e graças a ele que conheci a feltragem, as lindas pinturas em aquarela e o seu método de educação e modo de viver. Eu me sinto completa, algo que poucas coisas conseguem fazer, quando leio algo que ele escreveu ou enquanto me aventuro nas minhas feltragens. Desde 2009, quando morei no distrito praticamente erguido pelas mãos dele, Steiner tem se tornado um herói do meu dia a dia.

#06 Encontrar o inencontrável
Sei lá, inventei o termo. A questão é: eu tenho essa mania de querer as coisas mais perdidas no mundo. Eu quero justo o produto que se esgotou na loja, o lote que não fabricam mais, a edição que não vendeu nem mil cópias e empoeirou em um sebo escondido nas sombras de algum beco da cidade. É um dom, devo dizer. Não adianta tentar me convencer do contrário, só descanso quando encontro o que quero! Felizmente, em 99% dos casos eu encontro, o que evita uma enorme frustração e finda uma busca cansativa. Mas não paro de caçar tesouros. Quanto mais difícil de ter, mais eu quero. Talvez, quem sabe, eu tenha jeito para me tornar uma colecionadora.

#07 Estranhos sorrindo
Encontrar no meio dos pedestres alguém que esteja sorrindo sozinho ou comemorando, mesmo timidamente, é muito raro. Eu gosto porque é a prova de que ainda existe vida no planeta. As pessoas ainda tem consciência de si mesmas, e mesmo que precariamente, continuam correndo atrás dos seus sonhos. Às vezes a gente se lembra de que existem coisas mais importantes do que a rotina.

#08 Guloseimas
Eu sou uma formiga. Volte e meia lamento um desejo de comer tortas de morango, chocolate branco, bolos ou fast-food. Sou magra de ruim, e com essa já são duas expressões clichês em um único parágrafo. Quer me ver feliz? Compre uma torta de maçã do Mc Donald's. Faça um mousse branco com calda de chocolate. Também serve me passar receitas gringas de doces. Outro dia sonhei que fazia panquecas recheadas com morango. Vivo numa eterna gravidez com as vontades loucas chegando à tona em plena meia-noite.

O melhor meme da vida.

#09 Cachorros
Nada contra os gatos. Até tentei um, dois ou três; não me lembro. Eles fugiram, não voltaram mais. Gatos não servem para mim, só sei cuidar de cachorros. Ao contrário do que alguns dizem, não são animais carentes e dependentes. Pelo contrário, é complicado domesticar um vira-lata que foi tirado das ruas, ele está tão acostumado a se virar sozinho, que não gosta da ideia de usar coleira, tomar banho e seguir regras. Aqueles que vivem em casa, tomo como exemplo o Benjamin, também tem suas horas de solidão opcional e adoram descobrir coisas novas por si mesmos. Cachorros são inteligentes e surpreendem todos os dias.

#10 Homens de uniforme
Pode ser o cerumano mais feio, com a cara amassada de quem caiu do céu com a fuça no asfalto, ter o corpo no formato de “sobrevivi a um ataque de Sucuri” ou qualquer obra abstrata do tipo - se estiver de uniforme eu não me deixarei abater. Ficarei feliz, derretida e satisfeita. Eu não sei explicar o fenômeno, só sei que funciona.

5 comentários:

Jana disse...

Cachorros também são motivos pra eu ser feliz. Muitas vezes foram os únicos. ♥ Amo demais, não sei viver sem eles, fico sem chão.

Solidão também me faz feliz. Pessoas barulhentas são um tormento pra mim, as que falam demais também. Me sinto sufocada! Eu gosto muito de ficar sozinha. Quase sempre de ser também.

Beijão, Del. ;*

livroseoutrasfelicidades disse...

Esta sua lista está muito boa: original, pessoal, engraçada.

Mª Fernanda Probst disse...

Eu adoro os memes que você responde, Del.
Também gosto de um pouco de solidão e adoro milvezes mais os cachorros do que os gatos. Não sei lidar com gatos.

Tem uma tirinha, do "Um sábado qualquer" que Deus aponta para o cachorro e diz 'você vai se chamar cachorro', daí muda o quadrinho ele aponta pro gato e diz 'você vai se chamar gato'. E na terceira tirinha ele volta pro cachorro e diz: 'mas você vai ser muito mais legal'.

Pois é.


Beijocas

Thay disse...

Adoro meme e já me deu coceirinha nos dedos pra responder a esse! Já aceitei o fato de que metade do blog é composto por meme - e sei que essa é a metade mais interessante, de qualquer forma. D:

Enfim, solidão! Também preciso e aprecio totalmente. Meus amigos ficam me agitando pra sair todo final de semana e eu simplesmente não consigo. Preciso de um tempo completamente meu, ao meu ritmo e pra fazer o que der na minha telha - nem que seja só ficar deitada na cama, ouvindo música e olhando o teto. Preciso disso pra me recarregar, e é um saco quando não entendem essa minha necessidade.

Guloseimas: check! Cachorros: check!
E homens de uniforme... menina, eu moro super perto de uma base militar. E não são os militares meia boca, são os graduados! Daí sempre me deparo com alguns camaradas uniformizados. Acho um luxo, acho digno.

Ok, ok. Parei.
Beijo!

Del Santana disse...

Ai, Del, não dá muito p/ acreditar que você tem dificuldade em finalizar textos, sério. Quem lê o que você escreve fica pensando: "raiva desse povo que escreve tão bem SEMPRE, sem qualquer dificuldade".

Às vezes eu tenho umas necessidades repentinas de solidão e, do nada, num círculo de amigos, eu meio que me desligo de todos. Minha irmã e meu noivo começaram a observar isso e a chamar a minha atenção de vez em quando.

Cachorros! Nossa, esses bichinhos são muito amor. Eu tenho um cachorro, Costelinha, que é uma maquininha de me fazer sorrir, haha.

(Ah, quanto tempo, hein?)

Postar um comentário