6 de maio de 2014

Youtube: meus cinco canais favoritos

Para ser sincera, acabei de descobrir a real magnitude do Youtube. Antes, eu só acessava para assistir o vídeo mais badalado do momento, que em 90% dos casos era uma porcaria. Porém, recentemente descobri canais úteis para o meu dia-a-dia: yoga, pilates, receitas, tutoriais – um mundo de gente boa compartilhando o que sabe. Para além disso, que está fazendo diferença na minha internet, encontrei também alguns loucos dispostos a passar o dia inteiro com uma câmera na mão gravando suas rotinas, ou falando com propriedade sobre livros, ou sendo engraçados e só isso mesmo. Talvez, no futuro, eu amargue o tempo que perdi rindo feito idiota de atitudes idiotas vindas de pessoas idiotas, mas ok. Faz parte.

Para mim é uma escolha pessoal, essa de acompanhar canais no Youtube. Nem todo mundo curte assistir a vida privada de completos estranhos, não tem o mesmo senso de humor, tem mais o que fazer, sei lá. Eu sou assim. Normalmente, quando alguém me indica um youtuber, eu não gosto. Prefiro descobrir por mim mesma. Você aí, caro leitor ou leitora, pode ser igual. Mas caso goste de indicações porque não sabe por onde começar a procurar alguém realmente bacana, que valha sua atenção, vem comigo.


Comecei acompanhando o canal dela sobre maquiagem que, apesar de eu não usar maquiagem nem gostar desse tipo de vídeo com tutoriais, adorava o jeito dela e as coisas diferentes que às vezes apareciam no canal – feltragem, por exemplo, ou ela pintando um quadro lindo. Só depois de um bom tempo, sem querer, acabei encontrando seu vlog pessoal. Costumo dizer que é um dos “seriados” que mais gosto de ver. A vida de Bubz, Tim (seu marido) e os dois cachorros não tem nada de sensacional, o roteiro não tem nenhuma sacada genial, e é por isso mesmo que gosto tanto: é a vida normalzinha dos dois, que agora vão se tornar pais. Para quem tem a vida meio louca, como a minha, é bom acompanhar pessoas comuns de vez em quando.


Estou inscrita em vários canais literários gringos para ficar por dentro dos lançamentos lá fora. Ainda mais agora, que perdi a preguiça e cada vez mais leio livros em inglês. Não é fácil encontrar um youtuber com o mesmo gosto literário, ou pelo menos parecido, mas dá-se um jeito. As irmãs muçulmanas não são uma exceção: leem tudo o que eu jamais sequer tocaria, mas são verdadeiras simpatias (principalmente a Farah, coração com as mãos para ela). E ok, às vezes eu acabo me interessando por um chick-lit e outro, um YA mais ou menos diferente – tudo por influência delas. Assisto mais para me divertir, no fim das contas, do que para ficar por dentro das novidades literárias.


Esse é outro “seriado” da vida real que gosto de acompanhar. Judy faz vlogs há quatro anos, ou mais, e sua vida é o que eu chamo de caos. Nesses quatro anos de vlog diário, ela conheceu seu namorado, casou com ele, teve uma filha e logo em seguida deu à luz gêmeas. Visualize: uma casa com três crianças pequenas (a mais velha mal aprendeu a andar). Eu não sei bem como isso acontece, mas o casal se diverte. Eles gostam. Acho que é isso que me fascina, o conforto deles dentro dessa vida virada de cabeça para baixo; e também a disposição de gravar vídeos diariamente sem se importar muito com as aparências.


Pare tudo o que você estiver fazendo – abandone esse texto – e vá correndo assistir os vídeos desse cara! Eu estava maluca atrás de alguma coisa diferente (sempre, né?), querendo sair do padrão e, principalmente, procurando material indiano. Porque sim. Jasmeet é sique, nasceu e mora no Canadá, mas foi criado nos conformes da cultura indiana. Ele também tem um vlog, mas acompanho mais o “principal”, JusReign, onde ele publica vídeos variados – opiniões, interpretações, músicas de sua autoria, etc. Não faz muito tempo que o descobri e tweetei divulgando. Vi todos os vídeos em uma única noite no fim de semana e ri mais do que achava ser possível rir de um sique. A gente nunca espera certas coisas de um cara que usa turbante. Para começar, ou conhecê-lo melhor sem navegar demais, recomendo três vídeos: Don't touch my turban! (Prank), The Hand Clap Dance e Things I HATE About India.


Vou tentar não entrar de novo na discussão “qualidade literária”. Só que preciso dizer que volta e meia me irrito assim, profundamente, com certos canais que falam de livros. Ninguém precisa nascer sabendo, ser um expert em literatura para poder discutir, mas convenhamos: já que o cerumano se deu ao trabalho de montar um canal só para isso, que ao menos pesquise antes de falar – que saiba a pronuncia correta dos autores e das autoras, que fale um pouco sobre a história deles, cite traduções dos livros (boas e ruins), curiosidades também e, por que não? Leia a droga do livro antes de resenhá-lo. Foi no meio desse mar morto, afogando em frases do tipo “Não faço ideia do que se trata esse livro, só comprei/recebi da editora por causa da capa (ou por ser de graça)”, que encontrei a Juliana. Eu queria muito carregá-la no meu bolso. Ela lê o que gosta, porque gosta, quando gosta. Sabe do que está falando, interpretou perfeitamente o que leu e participa de vários projetos literários para sair da zona de conforto e sempre trazer títulos com conteúdo e diferentes do que a grande maioria anda lendo por aí. A Juliana é um amor. É um oasis no horizonte desse consumismo literário vazio e desenfreado.

4 comentários:

Thay disse...

Youtube eu só uso pra assistir Emma Approved, que é uma websérie inspirada no livro Emma, de Jane Austen. Vez ou outra ainda procuro um vídeo de uma banda querida, ou vejo alguma coisa de humor, mas pra ser bem sincera, é uma rede social para a qual não ligo muito. Canais então, nem sigo! E é tão raro eu ficar olhando coisas no Youtube que nem posso te dizer se vou dar uma olhada nos seus escolhidos! Ai, sou uma procrastinadora quando se trata de vídeos de youtube. XD

Marielen Romanna disse...

Pra mim, o Youtube sempre serviu apenas pra ouvir música, nunca fui de acompanhar canais hahah adorei esses do post, ainda não conhecia mas vou assistir mais vídeos com certeza ♥

Beijinhos
www.voamari.com

Yuu disse...

Ah, a Bubz! Seus vlogs são os únicos que eu assisto. Comecei a acompanhar há uns três anos, por identificação mesmo. Gosto dos tutoriais de beleza dela por serem simples, e tentei aderir ao chá verde de tanto ser mencionado, mas não me acostumei ao gosto e desisti de suas propriedades antioxidantes. Assim como você, raramente gosto de algo que me indicam, e uso o YouTube mais para assistir clipes do que qualquer outra coisa. E acho que está bom, porque se há vezes que vou dormir às altas horas da manhã só com esses, imagine se a lista fosse maior. Beijos!

Aline Aimée disse...

O canal da Ju Brina é excelente, mesmo! :)

Postar um comentário