4 de maio de 2015

Mozart curtiu isso

Acho que sou a pessoa mais pedante do mundo quando digo: “amo música clássica”. Apesar de ser verdade, talvez vivemos num país onde não há lugar para esse tipo de arte. As pessoas tendem a ver os amantes de música clássica como, e aqui cito uma colega, “pseudo intelectuais que se acham superiores ao chamar esse barulho de mosquito de “música de verdade”, e ainda por cima são de Direita”. É, por alguma razão culturalmente fundamentada, não somos bem vindos.


Mas sem querer parecer arrogante, eu amo música clássica. De verdade. Infelizmente, calhou de eu detestar funk, o que não me ajuda muito. Mozart é o meu melhor amigo. Considero Bach pacas! Tenho relações estremecidas com Beethoven, mas ele é um cara legal. Em suma, continuo amando The Rasmus, o que me coloca numa posição mais confortável quando me perguntam o que ando ouvindo, já que eles são mais uma receita de fubá no mundo do pop rock.

O quê? Achou que eu os considerava deuses da música contemporânea? Caramba, eu tenho bom senso...

O que essas pessoas preconceituosas (com licença) não sabem é que a música clássica pode (e deve) ser moderna. Vocês nunca ouviram falar de Apocalyptica? Enquanto escrevo este texto ouço a versão deles para Nothing Else Matters, do Metallica, e me sinto muito bem, obrigada. Ou você acha que se Mozart vivesse na nossa época comporia o mesmo Requiem do século XVIII? Pode apostar que ele teria fortes influências de, sei lá, Marilyn Manson. Ok, talvez não. Vamos apostar em Guns N' Roses.

Aonde quero chegar com todo esse blá blá blá? Nos dias de hoje, esse lugar de onde a maioria das pessoas não consegue sair. Além da música clássica também gosto muito, digamos, dos violinos e violoncelos do século XXI. Pois sim, eles sobreviveram à história, a tudo o que ela destruiu, e nos alcançaram. Hoje em dia temos um leque de opções para quem curte música clássica, mas nem por isso é antiquado. Além, é óbvio, do Apocalyptica, os principais representantes do gênero, escolhi outros três artistas os quais ouço bastante!


Além de violinista, Lindsey é cantora, compositora e dançarina. Foi revelada através do programa America's Got Talent e ficou conhecida como “Violinista Hip-Hop”. Hoje, seu canal no Youtube tem mais de seis milhões de inscritos.


Ah, 2Cellos! Depois de Apocalyptica, as músicas dessa dupla são as que mais ouço. Um beijo, Luka Šulic. Me liga! Enfim, os dois rapazes saíram dos buracos Croácia e Eslovênia para tocarem, não música boa, mas excelente.


Para ser sincera, Escala (ou Scala) é a mais obscura das bandas que costumo ouvir, apesar de terem sido lançadas pelo Britain's Got Talent. Minha relação com o quarteto de inglesas é a repetição incansável de Palladio. Raramente deixo o álbum seguir em frente.

3 comentários:

Li Arruda disse...

Olha, eu não tenho muita propriedade pra falar de música clássica, mas menina, o que são esses clipessssssssss, que fodas! Combinam perfeitamente com o violino, achei demais, tô surpresa!

http://mcmxcviblog.blogspot.com.br/
(dá uma olhadinha no meu blog, tem bolo)

Fábio Alves disse...

Não sou um entusiasta, mas aprecio a beleza da música clássica. E 2 Cellos é mto bom!

Thay disse...

Gosto bastante de música clássica, tenho várias playlists salvas com uma variedade de compositores e sempre coloco pra tocar quando quero me concentrar ou relaxar. Tudo bem que na maior parte do tempo estou ouvindo coisas como Muse ou Arctic Monkeys, mas também tem espaço no meu coração para os clássicos. Apocalyptica eu curto pra caramba, e foi meu irmão quem me apresentou os cara há alguns anos atrás. Acho sensacional a forma como eles compõem, me deixa arrepiada! <3

Postar um comentário