13 de julho de 2015

As 10 coisas mais legais do meu mundo

Parece que esse negócio de indicação para tags (ou memes, ou o que vocês quiserem, queridos; a taça é nossa) está em desuso, não é mesmo? E a palavra “desuso” é estranha, sim, mas me veio à cabeça e pronto. Aproveitando essa onda de rebeldia, catei a ideia do blog So Contagious. Só de olhar as categorias já percebi que não vou saber responder a maioria. Mas por que não correr riscos?


1. Decoração
Gosto de coisas rústicas (plantas, madeiras, móveis envelhecidos, hobbits...) e boho. A única coisa que foge um pouco dessa tendência é o universo meio lúdico da Antroposofia com suas feltragens, cores e pintura Lazure. Aliás, ainda não decidi entre Lazure, ou o 18-3015 da Pantone para pintar o meu quarto. Estou correndo atrás de caixotes de feira usados para fazer uma nova estante de livros e de um armário vintage para substituir o de varejo. Já providenciei vasos de lavanda e aloe vera para afastar os mosquitos e purificar o ar. Essas casas e home offices todos brancos com “pontos estratégicos de cores” me dão nos nervos. Dá vontade de jogar um balde de tinta da cor coral em tudo. COLORE ISSAE, PARÇA!


2. Livro
Todo mundo está cansado de saber que adoro Markus Zusak, Florbela Espanca, Mia Couto, Érico Veríssimo, dentre outros. Porém, o que eu gosto mesmo, tenho orgulho e me dou o direito de gastar um tempinho paparicando é da minha coleção de livros circenses, que está crescendo devagar, mas sempre. Alguns exemplares tenho apenas em versão digital, o que é uma pena, pois são difíceis de encontrar em sebos por serem muito antigos (tipo o Circo-Teatro, da Ermínia Silva). Quando alguém consegue encontrar um impresso (milagre) me manda logo em seguida e eu agradeço por toda a eternidade. É uma coleção complicada de ser mantida. Em contrapartida, dá uma alegria enorme!


3. Viagem
Bom, para trocar o disco e parar de responder “Suíça” a todo instante, vamos de Sardenha. Fui para lá em 2009 junto com a família para quem trabalhei de au pair durante aquele ano. Bem que eu pensei, no início, em ficar na Suíça e aproveitar uns dias de férias, mas fiz a escolha certa. Tirando o enjoo da viagem de navio (água com gás: maldita, mas necessária) aproveitei bastante a praia e ainda conheci um pouco do porto de Livorno, na Itália. Tem tantos vendedores chilenos, ou bolivianos, ou sei lá: tanta gente dos grandes povos da América do Sul em Livorno que eu me senti em São Paulo. Minha estadia na ilha ainda teve um plus a mais porque fiquei presa na estrada, o carro rodeado por um rebanho de ovelhas. Quais as chances de isso acontecer de novo?! Pois é.


4. Música
O Bonjour Circus ganhou muitos seguidores novos nos últimos meses, portanto sou obrigada a deixá-los a par de uma coisa: gosto de uma banda finlandesa chamada The Rasmus, falo deles o tempo todo, enfio em qualquer tag mesmo que não tenha nada a ver com o assunto, coloco fotos em textos aleatórios, canto as músicas em voz alta e vocês que se acostumem com isso. Os leitores mais antigos não aguentam mais, mas como continuam gostando de outras coisas que escrevo fazem de conta que não viram e pronto: ficamos todos bem, e amigos. Aconselho aos novos leitores a fazerem o mesmo.


5. Sapatos
Estou naquela fase de me desfazer dos tênis e All Stars. Já deu para mim, fim da linha. Na minha cabeça (problemática, mas limpinha), 28 anos de idade não é lugar para isso. Quero dizer, até uso tênis, mas algo de acordo. Adoro mocassins, apesar de me persuadirem a largar a droga. Não sei o que as pessoas tem contra mocassim, sinceramente. Alpargatas estão na moda e eu não poderia estar mais contente com isso. Enfim, gosto de tudo que seja confortável. Suo frio toda vez que faço uma visita à loja Wishin'. Eles ainda me matam.


6. Maquiagem
Então... aí teremos um problema. Estou completamente por fora desse mundinho. Tentei algumas vezes, comprei um batom aqui e ali, mas não é para mim. Uso protetor solar, hidratante labial, às vezes um lápis de olho e máscara de cílios, e está bom demais. Só uso produtos caseiros para cuidar da pele. Quando, raramente, compro algo industrializado passo por uma verdadeira provação até encontrar cosméticos que não foram testados em animais – essa é a minha prioridade na hora de escolher um produto. Ou seja, volte e meia dou uma volta pela loja Lush para comprar hidratantes e que tais. Maquiagem, por outro lado, é algo que não está (por enquanto, ou para sempre) no meu vocabulário.


7. Ídolo
Eu não costumo ter ídolos. Admiro um monte de gente, mas não idolatro ninguém. Para mim, todo mundo tem defeitos e errou feio em certas ocasiões (o Pirula dá uma boa explicação em seu vídeo). Em suma, admiro aqueles que fazem o bem. Parece bem genérico (e é), mas não tenho como responder algo diferente. Eu poderia escrever uma puta lista superficial, enchê-la de nomes importantes e conhecidos. Todo mundo tem seus motivos para citar Gandhi, Tolstói, Madre Teresa, etc... Mas eu também tenho motivos para mencionar pessoas anônimas. Conheço algumas, outras vi de relance. São aqueles que sofreram, ou sofrem, alguma injustiça, passaram por situações constrangedoras, e são esquecidos de certa forma pela sociedade. Sou capaz de admirar qualquer um que seja capaz de um ato benevolente e também aqueles que, de alguma forma, são ou foram fortes.


8. Doce
Eu sou uma formiga. Adoro doces! A lista começa em brigadeiro, passa por quindim, torta de morango, de maçã, bomba de chocolate, qualquer coisa da linha Lindt, rocambole de doce de leite, pavlova, bolo de nozes e vai longe. Se eu fosse obrigada a escolher um único para comer o resto da vida acho que começaria a bater pino. Não seria possível. Herdei isso de minha mãe, que come uma lata inteira de leite condensado sozinha.


9. Foto
Passei um bom tempo pesquisando os arquivos familiares para no final descobrir que há mais de dez anos não registro nenhum momento em família, ou qualquer coisa que o valha. Meus pais não tiram fotos desde que o filme fotográfico saiu de moda dando lugar às câmeras digitais. Sempre tenho o celular no alcance das mãos, mas não sou do tipo que quebra o clima para tirar uma foto. Portanto, as últimas cenas devidamente registradas são da minha viagem feita em dois mil e nove. Como já postei uma foto da mesma aqui, nessa tag, fiquei sem material. O que resta de lembrança são as fotos reveladas em lojinhas Kodak, todas da minha infância, e não acho que valha a pena. Então sabe o que eu fiz? Eu fiz uma pesquisa no Google e escolhi uma foto circense bem bonita. Se reclamarem, eu coloco mais uma.


10. Blog
Tá, essa é a parte difícil. Eu adoraria mencionar pelo menos uns sete blogs que leio assiduamente, mas enquanto tentava escolher um único me lembrei que o mais antigo, aquele que acompanho há muito tempo é o blog da Raquel. Eu não sei dizer quantos anos exatamente, mas consegui segui-la por todas as mudanças de nome e domínio pelas quais o blog passou (e não foram poucas). Conheci e me apaixonei por milhares de blogueiros e blogueiras diferentes desde os anos dois mil e deixa pra lá. Todos se perderam ao longo do caminho por uma razão, ou outra – a maioria, na verdade, acabou fechando o blog. A Raquel, não. Foi o único endereço que restou da mais remota época. E o mais legal é que ainda adoro ler as atualizações como se tivesse conhecido ontem! Espero que o Bonjour Circus siga pelo mesmo caminho.

4 comentários:

Flor disse...

amei a referencia do quarto <3 tem três anos que me mudei, mas ainda não consigo preencher aquele espaço para que ele tenha a minha casa, sabe? dou uma sofridinha com isso. e apenas mais um comentário: me rendo. vou procurar ouvir the rasmus de tanto ouvir/ler você falar/escrever sobre.

Thay disse...

Del, esse quarto é totalmente a tua cara! Não sei é por causa das cores do blog ou por alguma foto sua que eu tenha visto, mas sempre associo esses tons de laranja à você! Acho muito a sua cara, bem de acordo com sua filosofia de ser. (:

livroseoutrasfelicidades disse...

Como adoro seu jeito de escrever. Me peguei rindo e imaginando você falando essas coisas - e olha que nem te conheço!

Manu disse...

Olha, esperar indicação pra responder meme é para fracos, também sou dessas que sai entrando na brincadeira mesmo se ninguém me convidou! Achei as tuas respostas muito bacanas, o quarto ali é realmente ~a sua cara~ (ou a cara que esse blog me passa hihi) e o blog da Raquel (que talvez eu tenha conhecido acessando o bonjour circus, talvez não) é mesmo uma maravilha nessa internetz.
eu estou pra dizer isso desde que acessei seu blog pela primeira vez, mas aí vai: você é a única moça nesse mundo que encontrei que também gosta de The Rasmus. Estou bem longe de ser fã, mas adoro muito algumas músicas deles. Pode falar mais deles sim que to agradecendo! haha
;**

Postar um comentário