14 de outubro de 2015

Diário de um Bonsai (capítulo 3)


10/10/2015 – UTI
Tive uma surpresa nada agradável quando fui verificar nosso pequeno grande broto: suas folhas estavam murchas e manchadas. Depois de saborear um leve desespero, fui pesquisar o que diabos poderia ter acontecido. O problema, infelizmente, não era tão simples. Poderia tanto ser pouca luz, quanto muita luz. Pouca água, ou muita água. Eu, mãe de primeira viagem, fiquei sem saber se era um, ou outro. Bem, eu considerava a rega moderada, então só podia ser o sol (que está escaldante, mortífero, venenoso, vamos todos morrer). Mudei o broto de lugar. No dia seguinte, ele estava pior. Mudei mais uma vez, colocando junto com meu romã, e observei. Dei o prazo de dois dias para as coisas voltarem aos seus eixos antes de ficar brutalmente emputecida.


14/10/2015 – ÓBITO
A primeira coisa que fiz hoje de manhã foi verificá-lo e encontrei isso que está na foto. Não restou nem história para contar. O pior é que havia outro brotinho apontando, mas um pássaro fez o favor de carregá-lo para o inferno. Num dia eu estava contente achando que a família aumentaria, no outro me deparei com um buraco na terra germinando a lembrança de minha inocência. Até aí, tudo bem – o primeiro broto estava saudável. Hoje, estou tentando absorver a injustiça da melhor maneira possível.

Estou culpando o sol. Apesar de o broto ter adorado a iluminação em seus primeiros dias, me parece que se tornou demais para ele em determinado momento (que eu não sei qual foi). Sinto um certo orgulho de não ter matado o bichinho afogado, ou de sede, porque eu vivo fazendo isso com as plantas. Dessa vez a culpa não é totalmente minha. Pelo menos, não até eu entender o que raios aconteceu de verdade.

Você deve estar se perguntando o que acontecerá agora. Pois bem, eu não sei. Bem que eu gostaria de plantar novas sementes de maçã, mas está na cara que algo de errado não está certo. Talvez as sementes de frutas sejam mesmo estéreis. Talvez seja melhor comprar sementes próprias para plantio. Talvez, quem sabe, por que não?, eu deva comprar uma muda de macieira e dar o braço a torcer, só para variar. Ou quem sabe alguém perca a paciência com esse drama e me presenteie com um bonsai pronto, me incumbindo de apenas mantê-lo vivo. Não é o ideal, não era o planejado, por outro lado é possível que seja a coisa mais sensata.

Antes, preciso sofrer o luto.

4 comentários:

Fernanda Probst disse...

aaai que dózinha =\

Unknown disse...

Eu plantei uma semente de tamarindo (que caiu da árvore) e já está um pésinho grande. Não sei se ficaria bonito pra bonsai, mas é uma opção de árvore frutífera. :)

Yuu disse...

Que triste, Del! :( Eu estava acompanhando o progresso do seu bonsai por aqui e pelo Instagram e fiquei chateada por não ter dado certo. Era um empreitada de tão boas intenções!

Mas não desista, viu? Com um pouquinho de experiência você consegue! ^-^
Beijinhos.

Alessandra Rocha disse...

Poxa Del! Que bad, tava torcendo pelo seu broto! Se você for tentar de novo espero que dê certo, to botando a culpa no sol mesmo porque ele tava especialmente infernal...

beijo!

Postar um comentário