26 de maio de 2016

Socorro

Assumo que precisei de uma dose elevada de coragem para escrever este texto. Não me pergunte a razão. Doses extras de coragem tem sido meu novo vício. Venho pensando em muitas coisas, criando diversos assuntos, mas nada até o momento me animou a ponto de sair da zona de conforto em que me escondi. Estou uma tremenda confusão como vocês já estão cansados de saber. Ontem, porém, descobri que cheguei aos 66 quilos. Isso, para quem nunca saiu da marca dos 53 quilos, é assombroso. É por isso que hoje escrevo.

Não, não vou virar uma blogueira fitness. O meu peso foi apenas um gatilho para que eu acordasse (bom, eu vou tentar). Experimentei um daqueles momentos raros na vida em que olhamos para o nada e nos perguntamos aonde é que vamos parar. Por que estou fazendo isso comigo? Em qual parte do caminho eu decidi que deveria me castigar? Quando foi que comecei a me odiar? Ontem, me dei conta de que passarei o resto da vida na minha companhia.

Ou aprendo a conviver comigo, ou é melhor parar por aqui.

5 comentários:

Nicas disse...

No meu pior momento eu vi que tinha ido dos 56 para os 72. E dos 60 pros 72 foi coisa de 2 meses. Não estou escrevendo pra falar "olha eu, olha pra mim,, olha eu aquiii", mas para falar que isso acontece (e é horrível quando a gente percebe sim), mas que você vai sair dessa. Força! <3

Oh, Laila! disse...

Quando eu estava tomando antidepressivo engordei uns doze quilos. Mas, como eu era magra demais, esses quilinhos extras terminaram fazendo bem. Além de me ajudarem esteticamente, toda vez que me olho no espelho meu novo corpo serve para me lembrar as coisas que superei e o quanto minha saúde é importante.

Não se odeie. Aproveite esse "gatilho" para cuidar de você.

Elisabeth Philippsen disse...

As vezes coloco no automático a parte de cuidar de mim para ver se pego no tranco.

Amanda Pires disse...

é difícil cuidar de si mesma, quando o que nós mais queremos é passar o dia deitada sem fazer nada, eu sou assim. no meu caso, quero engordar e começar a praticar alguma atividade física, mas a única coisa que eu sei fazer é deitar e dormir sempre que penso nisso. a gente tem que começar a ver que nós também somos importantes, cuidar de si faz bem pro coraçãozinho e nos ajuda demais nessa jornada longa que é viver nesse mundinho insano. espero tudo de melhor pra ti... ah! não alimente pensamentos ruins, você é a melhor <<33 beijinhos

amanda.
h-ellorosie.blogspot.com

Gabriela disse...

Eu diria pra você buscar ler sobre nutrição comportamental e alimentação intuitiva. Dá pra tirar umas reflexões bacanas. Gosto do blog www.ocorpoemeu.blogspot.com porque trata de uma forma muito simples, mas tem outros até mais famosos e também livros tanto para nutricionistas como para leigos, como o da Sophie Deram.

sabordiario.com

Postar um comentário